terça-feira, 8 de julho de 2014

Infidelidades


Não é fácil suportar a rejeição.
Seja num relacionamento amoroso ou desportivo, é lixado ser desprezado.
O ano passado descobrimos que Bruma tinha um amante e, no início, foi difícil.
Como se não bastasse a melindrosa situação, ainda tivemos a imprensa cor-de-rosa todo o tempo a relembrar que não tinhamos andamento para aquele jovem com sangue na guelra, e que ele seria sempre infeliz no nosso aconchego.
A decisão dos juízes repôs justiça, e ficámos a ganhar nas partilhas.
A justiça foi terrestre, mas também divina, quando o joelho dele fraquejou.
Durante o resto do ano não pôde consumar a relação. 

Ainda mal refeitos desta rejeição, e já Ilori também nos dava com os pés.
Eu sei que a infidelidade é transversal à idade e aos estratos sociais mas, caramba, julguei merecermos um pouco mais de respeito.

No entanto, reconheço que me dá algum gozo saber que os relacionamentos alegadamente perfeitos também passam por crises profundas.
Na casa do vizinho, por exemplo, apesar de muito foguetório e aparente felicidade, o amor já passou por melhores dias.
Pior ainda, ser enganado pelo mesmo duas vezes é bem pior que ser enganado por dois.
Parece que Oblak voltou a dormir fora de casa, precisamente um ano depois de ter ido a Espanha ver se as molas dos colchões rangiam muito.
Nessa altura o vizinho conseguiu convencê-lo a regressar, mas o aviso já tinha sido deixado.
O pássaro parece ter ganho mais um poleiro onde poisar.

Calendário de pré-época

Calendário da pré-época 2014/15
- dia 12 de Julho, participação no Troféu Pauleta, contra a Selecção dos Açores, em Ponta Delgada;
de 18 e 20 de Julho, participação na Taça de Honra da Associação de Futebol de Lisboa, no estádio do Restelo (com Belenenses, Benfica e Estoril);
de 22 a 29 de Julho, estágio em Doorwerth na Holanda, período no qual o Sporting disputará três jogos amigáveis;
dia 1 de Agosto, Troféu Cinco Violinos, no Estádio José Alvalade, contra a S.S. Lazio, jogo que servirá de apresentação do plantel para a época 2014/2015 aos Sócios e adeptos;
dia 4 de Agosto, jogo contra o Al-Ittihad, em Alexandria, Egipto, partida que celebra os 100 anos da referida equipa;
dia 6 de Agosto, jogo contra o FC Midtjylland, em Copenhaga, Dinamarca, em que o Sporting terá uma equipa constituída por jogadores do plantel A e B;
dias 9 e 10 de Agosto, participação no Troféu Teresa Herrera, na Corunha, Espanha. Para além do Sporting, este prestigiado torneio contará com a participação do Deportivo Corunha, Sporting Gijón e Nacional Montevideo.

Fonte: RR

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Faz hoje 30 anos

Faz hoje 30 anos.
Paulo Ferreira venceu a 5ª etapa do Tour de France 1984.
Foi a melhor homenagem à recente morte do mítico Agostinho.

Apenas cinco ciclistas portugueses (Joaquim Agostinho, Paulo Ferreira, Acácio da Silva,  Sérgio Paulinho e Rui Costa) venceram etapas na prova rainha do ciclismo mundial, num total de 11 conquistas.
Apenas Paulo Ferreira o fez por uma equipa portuguesa.
Com a camisola listada do Sporting

video

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Gold

Não gosto nada de comparações, mas isso sou eu que sou um bicho-de-mato.
As pessoas, por norma, gostam de ver chegar o novo-Futre, o novo-Baresi ou o novo-Rijkaard. 
No futebol prevalece a mania de encontrar modelos para determinar ou promover a classe de um jogador.
No entanto, se nos maus jogadores é fácil encontrar um sósia, já os de excelência dificilmente são repetíveis.
Messi, por exemplo, era o novo-Maradona, mas a sua identidade própria e qualidade falaram mais alto e tornou-se, por mérito próprio, no objecto a clonar.
William Carvalho já foi apelidado como o novo-Patrick Vieira, mas tenho esperança que o nosso jogador também se torne irrepetível.
Ainda temos no plantel Capel, que foi comparado a Futre, mas as parecenças começam e acabam no facto de ambos serem canhotos. Já se Capel fosse aliciado por Bimbo da Costa e saísse para o clube da fruta ficaria muito mais parecido.
Na longínqua década de 90 Sousa Cintra chegou ao aeroporto e disse "Temos aqui Careca, que é meio Eusébio e meio Pelé."
Provavelmente gostava de tremoços e cachaça.
Desde ontem ficámos a saber que existe um mini-Messi na Escócia, mas vai passar a mostrar a sua valia com a camisola do Sporting.
Eu, que passadas estas linhas sou o mesmo bicho-de-mato, preferia que Ryan Gauld ficasse conhecido por ter o toque de Midas, e que transformasse em "Gold" tudo o que tocasse.


terça-feira, 1 de julho de 2014

Gajas boas

Hoje é dia do 108º aniversário do clube e, com ele, deveria surgir a ansiada Sporting Tv.

Contudo, pelos motivos que todos sabemos e que fizeram correr rios de tinta, a estreia ficou adiada.
Sou da opinião que se poderia ter evitado este episódio, mas também sou consciente que se conseguimos sobreviver 108 anos sem tv também o poderemos fazer durante mais uma ou duas semanas.
Não há lugar a dramas.
Mas a televisão do clube parece já começar a incomodar alguns ilustres, mesmo que não liguem um peido (perdoem-me a expressão) ao desporto.
O jornalista João Miguel Tavares escreveu ontem umas linhas no seu blogue onde, de forma rude, critica a "despida" presença feminina no quadro de profissionais da estação.


Mas o seu problema de fundo não é o género em si, mas sim o facto de serem “gajas boas”.
Pior ainda, “gajas boas” com a perna ao léu. 
Será que os estudos mais recentes da Universidade de Harvard indiciam que quanto mais alta é a perna mais baixo é o QI?
Desengane-se quem pensa que sexista é considerar que quem tem dois metros de perna e uma cara bonita tem a capacidade intelectual diminuída. Esta preocupação poderá estar sustentada em factos científicos.

Aliás, nem consigo perceber como é que a RTP, a SIC ou a TVI, às quais se juntam as suas filhas noticiosas, conseguem arranjar gajas boas que, em simultâneo, consigam ser profissionais competentes e, aparentemente, inteligentes.
Das duas uma.
Ou foram sujeitas a transplante de cara e perna…ou de cérebro.

Já na rádio ou na imprensa escrita o paradigma é diferente.
Qualquer labrego de barba ou “gaja” com buço e perna de 35 centímetros pode ser um óptimo profissional.
Até podem ir trabalhar de pijama que o público alvo não se apercebe, e a sua inteligência é inatacável.

Acredito, no entanto, que está mais perto o dia em que um verei um camafeu a apresentar um telejornal, ou uma “gaja” com pêlo no sovaco fazer um directo do congresso do PSD.

Tamanho e desempenho


Pouco antes do início do Mundial, voltámos a bater de frente com a realidade.
Foi amplamente noticiado que o porto iria ser o clube português mais representado no campeonato, com 9 jogadores...tantos quanto Sporting e lãps juntos.

Dado que Paulo Bento não foi na cantilena de levar Cédric e Adrien, o Sporting viu-se representado unicamente por Patrício, William, Slimani e Rojo.
Mas, à entrada para os 1/4 de final da competição, como se estão a portar o ENORME e o envergonhado contingente?


Os 9 fabulosos mundialistas do porto:
Héctor Herrera 4 jogos 346 min
Diego Reyes 1 jogo 45 min
Jackson Martinez 3 jogos 194 min 2 golos
Juan Quintero 2 jogos 83 min 1 golo
Nabel Ghilas 3 jogos 36 min
Defour 1 jogo 45 min
Mangala 0 jogos 0 min
Fucile 1jogo 12 min
Varela 2 jogos 51 min

Total : 812 minutos de jogo

Os 4 envergonhados jogadores do Sporting:
William Carvalho 2 jogos 135 min
Rui Patrício 1 jogo 90 min
Slimani 4 jogos 324 min 2 golos
Rojo 3 jogos 270 min 1 golo

Total : 819 minutos de jogo...sendo provável que Rojo ainda jogue 90 minutos nos 1/8 de final, o que dará 909 minutos.

Uma publicação fazia ainda referência ao facto dos azuis ainda terem Hulk, James Rodrigues, Moutinho, Vieirinha, Guarin, Rodriguez, Álvaro Pereira, Bruno Alves, Hélder Postiga, Hugo Almeida, Raul Meireles, Ricardo Costa, Pepe e Beto, que vestiram a sua camisola.
Eu ainda me lembrei que Pranjic, Pinilla, Arias, Caicedo, Gelson Fernandes...para lá de Beto, Patrício, João Pereira, Miguel Veloso, William, Montinho, CR 7, Nani, Varela,Postiga e (cof cof) André Almeida (que jogou nos nossos escalões de formação) também jogaram com o leão ao peito.
Ah...e os 3 treinadores portugueses presentes foram-no também do Sporting.


Mas, de repente, achei demasiado idiota esta ideia tão masculina de andar a comparar o tamanho.
É muito mais simples comparar o desempenho.