sexta-feira, 31 de maio de 2013

Comprimido azul

A capa do jornal A Bola faz hoje referência à (hipotética) intenção do Porto em avançar por Ghilas.
Já o DN diz que:
«O FC Porto ainda tentou a contratação do brasileiro Jefferson, que foi apresentado quarta-feira em Alvalade como reforço do Sporting. Segundo o DN apurou, os dragões tentaram garantir a sua aquisição na última terça-feira, com o agendamento de uma reunião de última hora com os dirigentes do Estoril e da Traffic (empresa que detém parte do passe do jogador) para negociar o defesa-esquerdo brasileiro... mas ele já tinha assinado pelos leões.»  

Isto poderá indiciar que o Porto volta a técnicas antigas e que tantos proveitos lhes renderam, ao intrometer-se em todo e qualquer negócio que o Sporting tinha em mente.
Ainda estarão na mente de muitos as contratações relâmpago de Alan, Paulo Assunção, Adriano,  Rúben Micael,  Raul Meireles, Kléber, até do treinador Villas-Boas ou outros com os quais o Sporting tinha princípio de acordo, direito de preferência, negociações avançadas ou simples interesse.
Foi assim com Josué. 
Já tinha sido assim com o jogador Domingos, que voltou atrás nas portagens de Alverca, quando vinha para o Sporting.
É assim e assim será com o da Frutaria Costa.
Principalmente quando deixamos de estar de quatro, numa posição passiva, à imagem do "Calor da Noite" onde tão bem se movimenta.
Ou o mercado disponível para os bolsos dos clubes portugueses é muito apertado, ou o homem ficou mesmo perturbado pela indirecta de Bruno de Carvalho relativamente à negociata Moutinho.
No entanto, este falhanço na intromissão no negócio Jefferson pode dar razão a BdC, quando diz que o outro está a perder capacidades.
Nada que um comprimido azul não resolva. Azul é mesmo com ele.

Se isto quiser dizer que a equipa campeã nacional poderá estar em vias de contratar Mido, considero uma óptima notícia.

A arte de comunicar

Depois de uma semana de profunda gargalhada, que teve origem no tremendo tropeção e queda do nosso histórico rival, aos poucos, temos que voltar a encarar os nossos próprios problemas.
Está certo que o país melhorou substancialmente, fruto da subida do PIB (Piadas dos Infelizes Benfiquistas) mas o relógio não pára, infelizmente para um Sporting que já teve melhores dias.
As notícias com que nos deparamos, ao surfar pela net, não trazem grandes esperanças ou alegrias, mesmo que algumas possam reflectir uma tentativa de trilhar caminhos diferentes do pântano onde nos atolámos.
Logo à partida, o facto do Sporting ter registado a pior afluência a Alvalade desde a sua inauguração não deve apanhar ninguém desprevenido. Se a época passada fui fazendo algumas actualizações do excelente desempenho neste campo, este ano enfiei-me na carapaça pois era palpável que o divórcio com a equipa era estrondoso.
Motivo de notícia deveria ser, no decorrer da época, que aqueles milhares de pessoas que sobreviveram à razia fossem masoquistas a ponto de continuar a assistir aos espectáculos mais degradantes da história do clube.
Agora, é esperar que a nova ordem e o futebol pensado de outro modo, resgate e reencaminhe todos os adeptos que se perderam.
Por outro lado, alguns órgãos de CS continuam a teimar com o nome de Mido como um dos referenciados para a frente de ataque do Sporting da próxima época.
O avançado egípcio já foi um conceituado e apetecível jogador, mas nesta fase da sua carreira, aparecer o seu nome associado ao Sporting parece de muito mau gosto, ou uma brincadeira de 1 de Abril.
Nas últimas 4 épocas terá efectuado uma vintena de jogos oficiais, se as juntarmos todas, o que poderá atestar da sua valia actual, e o facto de ser um autêntico globetrotter (12 mudanças de clube em 14 épocas) demonstram a sua estabilidade enquanto jogador e, possivelmente, enquanto pessoa.
Siga pr'a bingo.

Algo que me apanhou desprevenido, não por conhecer o projecto mas por achar que a estratégia de  comunicação é preponderante para o clube nos dias de hoje, foi a extinção da Sporting COM, empresa constituída no início de Novembro pela direção de Godinho Lopes, e que pretendia reunir as várias plataformas de comunicação do clube, com o canal de televisão à cabeça mas onde também constava o site, os jornais digital e em papel, as redes sociais, a comunicação do futebol profissional, da formação, das modalidades e da vertente institucional.
Claro está que a medida terá uma explicação racional, e não deverá ser uma medida avulso por se tratar de (mais) uma empresa criada pela anterior direcção, mas temo que esta medida volte a adiar sine die o anseio de milhões de adeptos.
O Sporting sempre foi um clube de vanguarda e, por exemplo, para a construção do Estádio de Alvalade dos anos 50 foi necessário um grande esforço de mobilização sportinguista para erguer uma obra que, para a época, era pioneira e avançada no seu tempo, dispondo de condições únicas em toda a Península Ibérica. 
Mais recentemente tivemos a história de sucesso da Academia, mas em muitas outras iniciativas fomos invejados e copiados.
Nos tempos mais recentes, a inépcia e/ou a incompetência têm ganho terreno, e os resultados estão à vista.
Andamos sempre a reboque dos outros e, nalguns casos, com anos de atraso.
Tivemos o exemplo do futebol, onde nos anos 90 até o Guimarães dava melhores condições de treino à sua equipa.
Mais recentemente, a questão do pavilhão. É quase indecoroso para um clube que ostenta o ecletismo como estandarte continuar de mão estendida para a miríade de modalidades que possui, enquanto vemos, com olhar guloso, os pavilhões dos nossos rivais.
A estratégia de comunicação também vai sendo goleada pela concorrência.
Se o rival da 2ª Circular acena com o canal de televisão e o jornal do clube, também tem ao seu serviço um sem-fim de amigos estrategicamente colocados.
A SIC tem feito um óptimo serviço ao clube, bem como o CM (versões papel e TV), jornal A Bola, etc.
Já o Porto tem outra estratégia para a TV, mas o certo é que tem o seu tempo de antena reservado.
O jornal O Jogo já serviu para estratégias pouco dignas ao serviço do clube, e o JN não dispensa um tratamento privilegiado aos portistas.
Enquanto isto, o Sporting luta para limpar o nome que diariamente é enxovalhado nos jornais, e continua sem meios próprios (ou aliados) para a importante tarefa de informar e também de "evangelizar" a larga comunidade que pensa Sporting.
Independentemente do rumo que venha a ser traçado, espero que esta direcção dê o relevo que esta matéria merece.




quinta-feira, 30 de maio de 2013

O meu pé esquerdo

Hoje volta a ser notícia um jogador que, já não pertencendo aos quadros do clube, criou alguma afinidade com larga falange de apoio leonina.
Falo, obviamente, de Emiliano Insúa.
Não sendo o interesse do Benfica nem o seu empréstimo um dado adquirido, tenho no entanto a certeza que muitos adeptos sportinguistas não tardarão em demonstrar publicamente o seu descontentamento pela possibilidade aventada pelo jornal Record.
Mais uma vez encaro este boato com descontracção, porque volto a recordar que, felizmente para a minha sanidade mental, não tenho ídolos...e o meu único foco de interesse prende-se na instituição Sporting Clube de Portugal.
Isto não invalida que não goste de ver nenhum nosso ex-jogador vestir as camisolas dos rivais, mas resolvo isso desejando-lhes toda a sorte que eles nos desejam a nós....ou um pouco mais.
Não sendo um seguidor da realidade encarnada, tenho a sensação que o barco deles tem precisamente começado a adornar à esquerda, desde há alguns anos a esta parte.
Um pouco como o que nos tem acontecido.
O Sporting procura insistentemente uma alternativa credível para a lateral esquerda, e as inúmeras experiências têm sido quase sempre tiros de pólvora seca.
Rui Jorge foi a nossa última grande referência naquela posição, e daí para cá vimos passar, entre outros, grandes figuras do futebol mundial, como Paíto, André Marques, Edson, Ronny, Grimi, Marian Had, Evaldo ou Joãzinho.
Também a esquerda foi alvo de diversas adaptações, como aconteceu com Tello, Pedro Silva, Caneira, Veloso, Torsiglieri ou Rojo.  
Além destes, ainda temos um Turan a rodar sem saber se vai voltar.
Que me desculpem os visados se me esqueci de algum, desta última dezena de anos.
Ao ver hoje a imagem do nosso ex-lateral argentino, penso no imediato.
De que jogador estão os nossos rivais interessados?
O Insúa da primeira época em Alvalade ou o que se arrastou pelos campos na metade da segunda época com a nossa camisola?
O Insúa que fez mais de 30 jogos pelo Liverpool ou o mais recente, que fez 2 jogos pelo Atlético de Madrid?
Seja como for, isso é problema deles.
Só espero é que, nesta nova era leonina, onde se espera que os sportinguistas recuperem a sua auto-estima, não haja demasiada guerrilha entre as facções que marcaram os dois últimos actos eleitorais e que poderão colocar em causa a estabilidade que necessitamos.
Espero que, caso o jogador rume ao rival, não venham acusar a direcção cessante nem a vigente por algo que, no futebol actual, é quase irrelevante.
Como será irrelevante que o Insúa, se tiver que correr naquela linha onde chafurdou Coentrão,  terá certamente de proferir declarações à imagem de quem lhe paga. 
Tal como quando chegou a Madrid, onde teve de dizer que o Atlético tinha maior dimensão que o Sporting, para gáudio de alguns jornalistas portugueses.

Como não vale a pena estar a olhar para os rombos dos nossos rivais, resta acreditar que desta vez iremos conseguir tapar o nosso buraco à esquerda, com a esperança chamada Jefferson.
Espero que daqui por uns anos, o lateral brasileiro seja também ele uma referência, e o recorde com saudade, como aconteceu com Rui Jorge.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Josu eras

Ainda a cama está quente do prolongado sono que a equipa do Sporting beneficiou este ano, e já as atenções se prendem com a próxima época.
Os adeptos estão obviamente sedentos por novidades, mesmo que seja público que o clube irá tão só maquilhar o plantel.
Já foi dado a entender que as entradas não devem exceder os 3/4 jogadores, mas é sempre com enorme expectativa e redobrada esperança que todos esperam que salte para as luzes da ribalta a confirmação dos eleitos.
Num clube que passa pela sua maior crise desportiva e financeira da história, não é de esperar que a escolha incida em jogadores de créditos firmados, e se fizermos uma mera viagem pelas caixas de comentários de alguns locais de tertúlia leonina, é evidente que as prendas que são pedidas antecipadamente ao "Pai Natal" já reflectem essa mesma realidade.
Se parece líquido que o lateral esquerdo Jefferson será um dos eleitos, as maiores incertezas recairão sobre o ponta-de-lança...que se espera não venha só, para não ficar órfão na frente de ataque um ano mais.
Depois tudo dependerá das saídas que estão em equação, umas para reduzir a folha salarial e outras que possam estar relacionadas com a obstinação das partes na renovação de alguns contratos.
Alguns desses lugares que ficarão em aberto deverão ser preenchidos pela prata da casa, tenham eles andado nos últimos tempo por Alvalade ou noutros locais, por empréstimo.
No entanto, do jogador que mais se tem falado, nos últimos tempos, é Josué.
O médio do Paços de Ferreira, formado nas escolas do Porto, pode vir a tornar-se em mais um ícone da guerrilha urbana fomentada pela dono da Frutaria Costa.
Sabe-se que o homem faz questão, desde há anos a esta parte, em ir buscar jogadores que belisquem a auto-estima dos adeptos dos outros grandes, e da própria estrutura dos clubes visados.
Algumas das aquisições são verdadeiros atentados à sua reconhecida capacidade para potenciar um calhau como futebolista , mas isso não interessa quando o que está em causa é provocar mossa nos adversários.
O Sporting, então, tem sido um autêntico manancial do clube nortenho.
As recentes aquisições de Tiago Rodrigues e Ricardo ao Guimarães não terão certamente essa premissa, mas o facto de ambos já terem vestido a nossa camisola pode ter servido como incentivo suplementar.
Regressando a Josué, hoje o jornal A Bola noticia que o jogador pode estar de regresso ao Porto.
Faz todo o sentido.
Assim, já começa a perceber-se o interesse do Costa em divulgar que o Sporting estava interessado no jogador.
Deste modo, já pode mostrar que deu mais um golpe no rival, mesmo que se trate de um regresso.
A sorte, no meio desta novela, é que acontece no final da época.
Pior seria se Josué tivesse ido jogar a Alvalade, tal como aconteceu a Ruben Micael, e saísse sob uma estrondosa salva de palmas, já com contrato assinado pelo Porto.

Acredito que Bruno de Carvalho tem os dois olhos bem abertos, mas a confirmar-se o que por enquanto não passa de uma possibilidade, é motivo para os abrir ainda mais.
Há males que vêm por bem e, caso o jogador acabe por regressar ao Dragão,  pode ser que cesse, de uma vez por todas, qualquer negócio envolvendo os rivais.
Se o Sporting estava interessado realmente em Josué, presumo que fosse uma mais-valia para o plantel mas, vistas as coisas...não me importo que se passe a chamar...Josueras.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Orgulho

Bruno de Carvalho é, indiscutivelmente, o dirigente do momento, mesmo que os outros dois continuem a ser notícia por diversos motivos, uns mais felizes que  outros.
Claro está que qualquer presidente do Sporting terá sempre o seu espaço na comunicação social mas, por razões aparentemente lógicas, BdC terá mais motivos de interesse que alguns antecessores.
Logo à partida por ser de uma estirpe diferente do que tem sido hábito por Alvalade.
Depois, pelo apetite que muitos terão em vê-lo estatelar-se ao comprido.
O seu estilo terá já inúmeros apoiantes e, certamente, uns quantos detractores, mas parece-me que não deverá deixar ninguém indiferente.
Só o tempo dirá quem tinha razão e eu espero, obviamente, que o tempo seja paciente para com o Sporting e com o trabalho que parece estar a ser feito.
Hoje BdC vem a terreiro, numa longa entrevista, fazer um ataque cerrado aos empresários dos jogadores e, ao mesmo tempo, deixa no ar que pode não haver renovações com algumas das "pérolas" leoninas, se não houver alguma abertura por parte dos seus representantes.
Ao mesmo tempo, critica os anteriores dirigentes por terem valorizado estes activos sem, atempadamente, terem tratado das respectivas renovações.
Veremos o que dará mais esta novela, que ameaça entrar pela próxima época desportiva dentro, mas temos que estar preparados para vermos sair, mais cedo do que seria de esperar, alguns dos que fazem salivar de satisfação muitos dos nossos adeptos.
Numa outra publicação, BdC vem tocar numa das feridas que me parecem abertas há muito tempo.

Qual será o objetivo do Sporting na próxima temporada? Não há Liga Europa. Isso fará com que haja maior responsabilidade nas provas nacionais?

Vou ter de utilizar as palavras do Leonardo Jardim. O Leonardo disse claramente que veio para o Sporting para vencer. Eu disse claramente que queria um Sporting com garra, ambição, sentido de respeito pela camisola, pela instituição, pelos adeptos e pelos sócios. E é isso que vamos fazer.  Aquilo que lhes podemos dizer é que, não temos dúvidas de que as pessoas vão ter orgulho. E às vezes para ter orgulho não é preciso ganhar sempre.
...
 Aliás, penso que foi evidente para muitas pessoas que houve vários jogos que o Sporting ganhou e dos quais eu não saí absolutamente nada satisfeito. Acho que foi evidente, quer para a equipa, quer para os sportinguistas, quer para muita da Comunicação Social. O vencer só por vencer a mim não me convence.

Será fundamental a postura, então?

Vai ser fundamental a postura, vai ser fundamental eu sentir, no final de cada jogo, que os profissionais que estavam ali dentro deram tudo aquilo que tinham. Isso é fundamental. E às vezes na vida damos tudo o que temos e não vencemos.

E este ano isso não aconteceu, os jogadores não deram tudo o que tinham?

Acho que qualquer pessoa pode verificar isso, pois caso contrário o Sporting não teria chegado onde chegou...
Parece-me evidente, tal como à maior parte dos nossos adeptos, que vamos entrar num ciclo de desinvestimento e, por arrastamento, o Sporting não poderá ser considerado o habitual candidato ao título que povoa os sonhos de qualquer sócio,adepto ou simpatizante.
Isso não invalida que o clube não possa ter sonhos e ambições, e se dúvidas houvesse, o recente triunfo do Guimarães na Taça (tal como a Académica o ano passado) ou a brilhante carreira de Estoril, Paços ou Rio Ave no campeonato deviam fazer-nos, no mínimo, reflectir.
Claro está que nenhum deles venceu uma prova de regularidade, mas é com essa realidade que temos de conviver.
O Clube terá que reprogramar os seus objectivos para, de uma forma sustentada, tentar regressar ao patamar que a todos habituou.
A qualidade tem um preço, mas nos últimos anos também ficámos a saber que um determinado preço não significa qualidade.
O Sporting tem sofrido as agruras de péssimos investimentos, de verdadeiros mercenários da bola, e os exemplos referidos comprovam que os adeptos, tal como BdC diz, podem ficar orgulhosos mesmo que a equipa não coloque uma cereja no topo do bolo.
Inclusivamente, ficou provado que a alma de um grupo pode ser tão forte que, mesmo com orçamentos reduzidos e salários em atraso é possível alcançar  o respeito de todos.
A meio da época chegou a sussurrar-se que o Sporting poderia ter vencimentos por regularizar, e que esse seria um dos motivos pela pouca aplicação de alguns.
Pois bem, mesmo que esse seja um cenário a evitar, no nosso clube, em qualquer outro ou noutro sector de actividade, o certo é que muitos daqueles que suaram a camisola no Jamor, ou até alguns que nos fizeram corar de vergonha no decorrer desta época, demonstraram que pode faltar-nos muito para nos revermos em quem veste a nossa camisola.
Esperemos que BdC consiga passar a mensagem, que todos os mercenários estejam identificados e a equipa volte a ser representada por quem nos encha de orgulho.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Campo minado?

Como é sabido, o Sporting alcançou, com quase normal facilidade, as meias-finais do play-off de futsal.
Deste modo, veio confirmar não só a sua condição de favorito como também voltou a justificar que a quase ímpia fase regular não se deveu a nenhum acaso.
No entanto, as verdadeiras dificuldades começarão agora, pois a eliminatória com o Fundão trará certamente um grau de dificuldade muito elevado.
A equipa adversária tem feito uma campeonato de enorme qualidade, e a atestar esse percurso está o facto de ter disputado com o Benfica o 2º lugar da fase regular quase até final.
Assim, estar a perspectivar algo mais para lá das meias-finais é o mesmo que contar com o ovo ainda no cú da galinha (sem qualquer tentativa de analogia com outras aves) e, como por estes dias se pôde comprovar o triste resultado das celebrações antecipadas, convém não desviar a atenção e a concentração somente deste valoroso adversário.
Apesar disto, qualquer pessoa com interesse nesta ou noutras modalidades está sempre atento aos possíveis adversários.
É com base nesta premissa que foi com preocupação que me apercebi da eliminatória que o Benfica disputou também no passado fim-de-semana.
Foi fácil encontrar imagens do jogo que poderiam confirmar os relatos mas, como seria de esperar, o resumo da tv dos encarnados não registou convenientemente os casos do jogo.
Assim, não é possível colocar aqui as provas de que o caminho para o título poderá ainda ser minado pelos mesmos que, na época passada, desvirtuaram uma vitória que teria sido mais que merecida.

Algumas passagens de uma crónica de um site da especialidade:


"Foi uma partida pautada pelo equilíbrio, nem sempre bem jogada, que terminou com um resultado demasiado imerecido para uma equipa da Académica que dispôs de mais e melhores oportunidades de golo para chegar ao triunfo. Os visitantes aproveitaram a desinspiração das águias para ficarem muito perto da surpresa.
...
O tempo extra começou com duas perdidas incríveis da Académica, com Jander a acertar na trave e Gonçalo Barão a enviar a bola ao poste. Em ambas as ocasiões os jogadores academistas tinham a baliza escancarada. 
...
A arbitragem de Hugo Marques e Luís Graça foi manchada por vários erros, sendo o mais grave o não assinalar de uma grande penalidade por derrube claro de Bebé a Miguel Silva no interior da área encarnada. Desse lance resultou o contra-ataque que permitiu o segundo golo aos donos da casa."


Pelos vistos, teremos de estar atentos à nossa eliminatória mas também ao que se fabrica noutros pavilhões.

Fantasmas

Numa tarde/noite em que os fantasmas e a crença de que os demónios existem assola a alma de muitos benfiquistas, também alguns fantasmas voltaram a assolar-me.
Ao surfar pela net, é impossível não dar de caras com as imagens da festa do Jamor, particularmente com o semblante carregado de alguns adeptos nos sectores encarnados.
Entre eles, contavam-se nitidamente o ex-árbitro Paulo Paraty e menos explicitamente o ex-presidente da APAF, Vítor Reis (a acreditar nos entendidos).


 
Recordar-me do fantasma Paraty é reviver mil e um pesadelos que nos fez passar.
Basta recuar ao jogo do título de 2005, do tristemente célebre golo de cabeça de Luisão onde muitos viram falta a Ricardo, e outros tantos continuam a não o ver, passados estes anos.
Mas podia recordar vários encontros onde o arrogante árbitro quase sempre nos fez duvidar da sua capacidade, ou isenção.
Entre muitos outros, Paraty voltou a atacar num dérbi e os responsáveis leoninos não calaram a indignação.

 

Depois de abandonar a arbitragem ainda teve tempo para continuar o ataque ao Sporting, e estão registadas algumas declarações públicas acerca desse jogo de 2005, na Luz, onde as insinuações e comparações são de baixo nível e impróprias para o cargo que desempenhou.
No entanto, não foi só na defesa do Benfica que se destacou.
Basta recordar uma notícia relativa à época de 2004 para podermos verificar que o seu nome já merecia muitas dúvidas. 
Seriam certezas se o nosso sistema judicial não tivesse fechado os olhos a muitas evidências.


Já quanto a Vítor Reis, rezam as crónicas que também será um inveterado benfiquista, mas ao pesquisar a sua passagem pela APAF deparo-me com uma intransigência no mínimo curiosa.


É que quando o Sporting se sagrou campeão, naqueles anos de viragem do milénio, dá-me a sensação que ainda vigorava o incómodo sorteio, mesmo que condicionado.
No entanto, nos tempos que correm seria difícil fazer melhor, mesmo com sorteio. É que o quadro de árbitros é  de tal forma mau e pintado a duas cores que por muitas voltas que dessem às bolas ficaríamos sempre agarrados às bolas.


video


domingo, 26 de maio de 2013

Nada está perdido

Rezam as crónicas que nem tudo está perdido para os nossos grandes rivais.
Parece que o Calado ainda pode ganhar o Big Brother!!

Reticências

Num domingo de pouca monta para a agenda leonina, realce natural para o 4º título consecutivo no nacional de Juniores, em andebol, que o Sporting alcançou esta manhã.
Depois de uma derrota na véspera, perante o ABC, (e como o Sporting parece gostar de emoções fortes) a festa ficou adiada para hoje, mesmo correndo o risco de a ver poder fugir.
A vitória perante o Belenenses (31-24) foi mais difícil do que o resultado indicia, e essas dificuldades resultaram de uma evolução da equipa do Restelo no decorrer desta fase final, o que poderia ter comprometido o título, pois este dependia de uma vitória perante este adversário.
A nossa equipa acabou por beneficiar da vitória perante o Benfica, na semana passada, porque a vantagem no confronto directo fez a diferença, perante a igualdade pontual na classificação final.
Parabéns aos (tetra) campeões. 


Fugindo um pouco à vertente desportiva, foi já com naturalidade que me deparei com uma notícia do Record, que aventa a possibilidade do Estádio de Alvalade acolher na próxima época a final da Liga dos Campeões, na vertente feminina.
A repetida falta de respeito para com o Sporting, por parte desta e outras publicações, já me mereceu outros sentimentos.
Actualmente, não deixo passar em claro, mas já me bate na carapaça da indiferença.
Pode haver quem ache que a notícia simplesmente pretende informar, como deve ser o seu objectivo, mas as repetidas reticências indiciam uma forma subliminar de gozo.
Todos nós sabemos que a próxima final da competição masculina, que provavelmente trará inúmeros adeptos/turistas dos países que a disputarem (também eu aqui meti subliminarmente uma farpa a quem vai ceder o estádio, caso não tenham percebido) será no Estádio da Luz, mas não vejo porque poderá ser motivo de inferioridade o facto de outro clube/estádio acolher a competição no sector feminino.
"Prova...feminina" em lugar de "Prova feminina" indicia (na minha mente retorcida e calejada) a prova cabal da tentativa de chacota institucional. 
Se dúvidas houvessem e as reticências tivessem sido afinal um mero lapso, o final da referida notícia, depois de 3 linhas que terão dado muito trabalho a escrever ao pássaro jornaleiro, após mais umas maldosas reticências e às alternativas a Alvalade, comprovam que a comunicação social devia ganhar, a cada dia, o nosso maior desprezo.
Aquela gente não descansa, na sua cruzada contra o Sporting. 


sábado, 25 de maio de 2013

Negociata

Ainda na sequência do negócio Moutinho, Bruno de Carvalho achou por bem comentar o que parece ter sido, isso sim, uma negociata.
Com uma pequena dose de sarcasmo, numa linguagem com tiques daquela usada por quem tem dominado o futebol português nos últimos 30 anos e que também tem posto à prova a inteligência dos portugueses com intervenções ridículas, o presidente leonino decidiu meter uma pequena farpa no rival, já que o Sporting sairá prejudicado, de forma inapelável, de mais esta tramoia.

Disse BdC:

«Tivemos o azar de o presidente Pinto da Costa não estar a conseguir fazer os negócios que tem feito. Ele sempre disse que os jogadores eram vendidos pela cláusula e sabemos que a do João Moutinho era de 40 milhões. Infelizmente não foi assim, foi por 25 milhões, o que mostra que, às vezes, as pessoas não vão tendo as mesmas capacidades e as mesmas competências».

Claro está que, como seria de esperar, ainda as palavras do presidente leonino mal tinham saído da boca e já o Costa estava a responder.
O dono do Porto sempre prezou uma boa polémica e se, por um lado, a idade já não lhe deve permitir algumas habilidades, o certo é que naquele jeito monótono e monocórdico lá vai vomitando uma opiniões.


Disse o velho:

«O Sporting deve estar muito satisfeito pelo valor que conseguimos vender o João Moutinho. Eles venderam-no por 11 milhões, consideraram-no uma 'maçã podre' e ao fim de dois anos conseguimos que essa 'maçã podre' fosse comprada por 25 milhões de euros».

Apesar do Sporting ser o visado por esta piadinha ao seu estilo, a verdade é que fiquei satisfeito que o homem se manifestasse, tivesse ele demorado 5 minutos ou 5 horas a responder.
É que já estava cansado de ver o meu clube a fazer vénias ao seu superior, a dizer ámen a todas as vontades que vinham do Norte, a calar mesmo quando o orgulho dos sportinguistas era posto em causa.
Não me interessa que Vieira responda e continue a perder em campo.
Ao menos não passa a imagem de corno manso, como alguns dos nossos ex-dirigentes, enganados sucessivamente pela mulher mas que continuaram a partilhar o mesmo leito.
Quero lá saber se têm 50% do passe do Josué ou se o Sporting tem interesse em mais algum jogador.
É que mais esta jogada suja vem provar...a quem certamente esteve distraído nas últimas 3 décadas, que convém pôr definitivamente um travão nestas parcerias em que ficamos sistematicamente a perder.

Jornada e transmissões do dia

Sábado, 25 de Maio de 2013


Finalizadas que estão, praticamente, todas as competições de futebol que nos merecem mais interesse, as atenções deste fim-de-semana estarão quase consagradas às modalidades.
Numa semana em que transpirou para o exterior os profundos cortes que estas poderão vir a sofrer, nada como desfrutar, enquanto é tempo, da sua excelência.
Assim, a equipa feminina de atletismo disputa a Taça dos Campeões de pista, naquela que é considerada a 3ª prova mais importante do calendário europeu de atletismo. As nossas leoas já por uma vez subiram ao pódio (3º lugar em 2011) mas a tarefa apresenta-se complicada pois a equipa não se apresenta na máxima força (Vera Barbosa, Carla Tavares e Mónica Lopes lesionadas), para lá do valor das adversárias.
Face ao desinvestimento na equipa masculina, que subiu várias vezes ao pódio e inclusivamente venceu a competição por uma vez, a atenção prende-se nas nossas meninas. Tentaremos ir actualizando os resultados das provas, sendo que na agenda estão  os horários desta primeira jornada do fim-de-semana.
A partir das 16 horas joga a equipa de futsal, que tentará apurar-se já para as meias-finais da competição, fase onde já está o nosso eterno rival.
Convém não facilitar, para evitar jogos e esforços suplementares. Acredito que assim será.
Ao final do dia entrará em liça o andebol, numa jornada que assinalará o final do campeonato nacional.
A equipa do Sporting tem vindo a proporcionar excelentes espectáculos, ao mesmo tempo que se destacou como a melhor equipa desta fase final, mas será uma verdadeira incógnita o seu desempenho depois de alguém com responsabilidades ter vindo anunciar a verdadeira razia que se prepara também nesta secção.
A vitória significará a subida ao 2º lugar da competição, enquanto que qualquer outro resultado nos deixará no 3º lugar, mas ainda resta a Taça de Portugal do próximo fim-de-semana que poderá salvar uma época de duas faces.
Ainda com o jogo da equipa sénior a decorrer começará o jogo da equipa júnior, que poderá garantir o título nacional, a uma jornada do final. O Sporting comanda a fase final com 3 vitórias em 3 jogos, e uma vitória por qualquer resultado será suficiente para a consagração. Se tal não acontecer, o empate será um mal menor pois terá ainda o Belenenses na última jornada, a equipa mais débil da competição, pelo que dificilmente a equipa deixará fugir o almejado título se não perder hoje.
Estes dois jogos de andebol podem ser seguidos nas ligações que disponibilizamos.




Taça dos Clubes Campeões Europeus | 15:45h
Atletismo - Seniores femininos -
Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António -


14:45
   Salto Com Vara            5º lugar    Leonor Tavares   3.80
16:00
   400 M Barreiras-0.76   8º lugar   Carolina Duarte    01:01,82
16:00
   Dardo 600 Gr               3º lugar     Sílvia Cruz          55,61
16:20
   100 Metros planos       7º lugar                                  12,29
16:40
   800 Metros                  6º lugar Joceline Monteiro  02:08,87
17:20
   Triplo Salto                  2º lugar  Patrícia Mamona    13.83
17:25
   3.000 Metros               4º lugar Carla S. Rocha        09:19,55
18:00
   3.000 Mt.Obstáculos   3º lugar  Clarisse Cruz         09:54,21         
18:30
   4 x 100 Metros            6º lugar  SCP                         46,81
18:50
   400 Metros Planos      5º lugar Cátia Azevedo         53,37

Sporting vs Modicus | 16:00h
Futsal - Seniores - 2.º jogo dos quartos-de-final dos play-off do Campeonato Nacional
FINAL

Sporting 8 Módicus 0

Benfica vs Sporting | 18:00h
Andebol - Seniores - 10.ª jornada da fase final do Grupo A de Andebol 1
Benfica - Sporting (clicar)
FINAL:
SLB 31 SCP 30


Sporting vs ABC | 19:00h
Andebol - Juniores - 4.ª jornada da fase final do Campeonato Nacional
Sporting - ABC (clicar)

FINAL:
SCP 23 ABC 28