terça-feira, 28 de maio de 2013

Orgulho

Bruno de Carvalho é, indiscutivelmente, o dirigente do momento, mesmo que os outros dois continuem a ser notícia por diversos motivos, uns mais felizes que  outros.
Claro está que qualquer presidente do Sporting terá sempre o seu espaço na comunicação social mas, por razões aparentemente lógicas, BdC terá mais motivos de interesse que alguns antecessores.
Logo à partida por ser de uma estirpe diferente do que tem sido hábito por Alvalade.
Depois, pelo apetite que muitos terão em vê-lo estatelar-se ao comprido.
O seu estilo terá já inúmeros apoiantes e, certamente, uns quantos detractores, mas parece-me que não deverá deixar ninguém indiferente.
Só o tempo dirá quem tinha razão e eu espero, obviamente, que o tempo seja paciente para com o Sporting e com o trabalho que parece estar a ser feito.
Hoje BdC vem a terreiro, numa longa entrevista, fazer um ataque cerrado aos empresários dos jogadores e, ao mesmo tempo, deixa no ar que pode não haver renovações com algumas das "pérolas" leoninas, se não houver alguma abertura por parte dos seus representantes.
Ao mesmo tempo, critica os anteriores dirigentes por terem valorizado estes activos sem, atempadamente, terem tratado das respectivas renovações.
Veremos o que dará mais esta novela, que ameaça entrar pela próxima época desportiva dentro, mas temos que estar preparados para vermos sair, mais cedo do que seria de esperar, alguns dos que fazem salivar de satisfação muitos dos nossos adeptos.
Numa outra publicação, BdC vem tocar numa das feridas que me parecem abertas há muito tempo.

Qual será o objetivo do Sporting na próxima temporada? Não há Liga Europa. Isso fará com que haja maior responsabilidade nas provas nacionais?

Vou ter de utilizar as palavras do Leonardo Jardim. O Leonardo disse claramente que veio para o Sporting para vencer. Eu disse claramente que queria um Sporting com garra, ambição, sentido de respeito pela camisola, pela instituição, pelos adeptos e pelos sócios. E é isso que vamos fazer.  Aquilo que lhes podemos dizer é que, não temos dúvidas de que as pessoas vão ter orgulho. E às vezes para ter orgulho não é preciso ganhar sempre.
...
 Aliás, penso que foi evidente para muitas pessoas que houve vários jogos que o Sporting ganhou e dos quais eu não saí absolutamente nada satisfeito. Acho que foi evidente, quer para a equipa, quer para os sportinguistas, quer para muita da Comunicação Social. O vencer só por vencer a mim não me convence.

Será fundamental a postura, então?

Vai ser fundamental a postura, vai ser fundamental eu sentir, no final de cada jogo, que os profissionais que estavam ali dentro deram tudo aquilo que tinham. Isso é fundamental. E às vezes na vida damos tudo o que temos e não vencemos.

E este ano isso não aconteceu, os jogadores não deram tudo o que tinham?

Acho que qualquer pessoa pode verificar isso, pois caso contrário o Sporting não teria chegado onde chegou...
Parece-me evidente, tal como à maior parte dos nossos adeptos, que vamos entrar num ciclo de desinvestimento e, por arrastamento, o Sporting não poderá ser considerado o habitual candidato ao título que povoa os sonhos de qualquer sócio,adepto ou simpatizante.
Isso não invalida que o clube não possa ter sonhos e ambições, e se dúvidas houvesse, o recente triunfo do Guimarães na Taça (tal como a Académica o ano passado) ou a brilhante carreira de Estoril, Paços ou Rio Ave no campeonato deviam fazer-nos, no mínimo, reflectir.
Claro está que nenhum deles venceu uma prova de regularidade, mas é com essa realidade que temos de conviver.
O Clube terá que reprogramar os seus objectivos para, de uma forma sustentada, tentar regressar ao patamar que a todos habituou.
A qualidade tem um preço, mas nos últimos anos também ficámos a saber que um determinado preço não significa qualidade.
O Sporting tem sofrido as agruras de péssimos investimentos, de verdadeiros mercenários da bola, e os exemplos referidos comprovam que os adeptos, tal como BdC diz, podem ficar orgulhosos mesmo que a equipa não coloque uma cereja no topo do bolo.
Inclusivamente, ficou provado que a alma de um grupo pode ser tão forte que, mesmo com orçamentos reduzidos e salários em atraso é possível alcançar  o respeito de todos.
A meio da época chegou a sussurrar-se que o Sporting poderia ter vencimentos por regularizar, e que esse seria um dos motivos pela pouca aplicação de alguns.
Pois bem, mesmo que esse seja um cenário a evitar, no nosso clube, em qualquer outro ou noutro sector de actividade, o certo é que muitos daqueles que suaram a camisola no Jamor, ou até alguns que nos fizeram corar de vergonha no decorrer desta época, demonstraram que pode faltar-nos muito para nos revermos em quem veste a nossa camisola.
Esperemos que BdC consiga passar a mensagem, que todos os mercenários estejam identificados e a equipa volte a ser representada por quem nos encha de orgulho.