quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Patrocinar o rival

Neste espaço nunca faço copy/paste, pois prefiro a originalidade.
Pontualmente, posso fazer referência a este ou aquele artigo, mas hoje vou copiar (quase) na íntegra uma publicação com a qual tropecei.

Não é meu tímbre visitar páginas de outros clubes, mas numa busca reparei num título com o qual me identificava...e quando dei por mim estava embrenhado em terreno pantanoso.
Cometido o pecado de entrar onde não devia, comecei a ler...e revi-me em todo o texto, se excluir o interveniente principal.
Por isso fiz uns pequenos ajustes, sem que o sentido do texto seja minimamente beliscado.
Nem me dei ao trabalho de pesquisar se o valor em causa é o correcto, porque mais euro menos euro, a questão de fundo mantém-se.
Estas linhas são escritas por um adepto de um clube do Norte, com o qual o Sporting e os sportinguistas não se identificam, por motivos sobejamente conhecidos.
Já abordei este tema de modo soft mas continua tristemente actual.

Pensava é que este assunto era exclusivo de alguns adeptos e Núcleos sportinguistas.

 
"Mesmo não estando listado para publicar um texto esta semana, decidi tomar a iniciativa visto que há um assunto que me anda a tirar o sono há uns meses.
Chamando os bois pelos nomes, falo daqueles sportinguistas portistas que subscrevem um certo canal de televisão com o argumento de ver os jogos da Premier League… Perante tal nojeira, decidi-me a discorrer sobre o tema.

Já me aconteceu não uma, não duas, não três. Várias vezes. Demasiadas vezes. Em conversa com amigos sportinguistas portistas lá vem a novidade que menos queria ouvir: 

“Subscrevi a *#!?%!&* TV. Teve que ser. Não resisti, adoro a Premier League”. 

A desculpa varia de pessoa para pessoa e de mês para mês. Umas vezes é o Boxing Day, outras é o Man United vs Chelsea, outras é o derby de Manchester, outras é o Falcao, outras é o Mourinho.
A verdade é só uma: são mais 9€ que vão parar à conta desse clube. Depois, esses mesmos sportinguistas portistas, são aqueles que criticam alto e bom som a sua Direcção quando o rival tem mais e melhores jogadores. “Porque eles têm banco e nós não temos”. “Porque eles investem em jogadores feitos e nós só vamos buscar jovens promessas”. “Não percebo o que é que a SAD faz ao dinheiro das transferências”. “O Presidente anda a dormir, já não é o que era”. Bla Bla Bla, etc e tal, pardais ao ninho.
Resumindo e concluindo: fazem como Pilatos e lavam daí as suas mãos. Não é nada com eles, tirando o facto de depositarem directamente dinheiro na conta do clube rival, numa espécie de Operação Coração 2.0, mas desta feita financiada também pelos próprios adeptos do Sporting porto.
Já tentei perceber o porquê desta atitude. Mas sinceramente ultrapassa-me. Eu gosto muito de futebol, adoro futebol, respiro futebol. Mas antes disso, antes do desporto, antes dos remates do Rooney, das fintas do Yaya Touré e das cabeçadas do Diego Costa, está o Sporting porto.
Sou suspeito, é verdade, nunca tive clube “lá fora”, como é comum a muita gente. Essa moda sempre me pareceu ridícula e enfadonha, desde os tempos em que me lembro de ver um cineasta deste país, um qualquer coisa Vasconcelos, intitulado líder dos notáveis do seu clube, prestes apanhar um voo com destino a Barcelona – ainda lá jogava o Ronaldo Fenómeno – argumentando que o futebol português estava podre e que agora o seu clube era o Barcelona. Era criança nessa altura, o Sr. Vasconcelos já teria idade para ter juízo, mas lembro-me de achar aquilo de um ridículo atroz e de chegar a sentir pena daquela pobre gente.

Ora, eu nunca tive clube além-fronteiras nem sei o que isso é. Ser do Sporting porto não se compactua com outros clubes ou cores. Nunca venerei o Barcelona do Guardiola, sempre achei aquele futebol de toca para o lado e para trás chato e cansativo, sem piada nenhuma. O Real Madrid é para mim o clube do império de nuestros hermanos e por isso também no me gusta. O Manchester tem uma cor horrível, Liverpool idem, o Chelsea é novo-rico, o PSG é um clube para lavar dinheiro e o Bayern é do campeonato alemão, que não me deslumbra. Não quero saber se ganha o CR ou se ganha o Messi. Tanto me faz se o Mourinho ganha ou perde campeonatos. Eu quero é que o Sporting porto ganhe, isso sim.
Por isso, caro " sportinguista portista", se estás aí desse lado e já cedeste à tentação de pegar no comando e subscrever esse canal, então lê mesmo com atenção pois este texto é para ti: cada mês que pagares essa porcaria ESTÁS A DAR DINHEIRO ao nosso inimigo. ESTÁS A FINANCIÁ-LO. Estás a dar-lhes melhores jogadores, estás a dar-lhes mais poder na comunicação social, estás a FALSEAR o campeonato nacional.
Por isso, faz-me lá um favor: poupa esses 9€ mensais e, em vez de te deixares amolecer no sofá Domingo à tarde a ver a Liga Inglesa, vai correr para o Parque da Cidade, vai subir à Torre dos Clérigos, vai passear com a tua mulher, faz uma surpresa à tua namorada, vai visitar um museu, vai à praia, mete-te nas danças de salão, no yoga, no surf, no xadrez ou nos bonsais. Mas sai de casa, faz alguma coisa, pois tudo é melhor que ficar em casa e dar dinheiro ao rival.
Julgo que não preciso de te chamar a atenção para os 5 penalties que já ficaram por marcar sobre jogadores do Sporting porto esta época. Nem preciso de te dizer que tu tens que ir a Arouca, mas que eles levam o Arouca a Aveiro. Nem preciso de te recordar que, certo ano, em vez de irem jogar ao Estoril foram jogar para o Algarve. Nem me vou cansar a dar-te a conhecer os critérios editoriais da sua televisão nem o seu conteúdo programático extra-Premier League. Nem preciso de te dizer que a %#!& TV é uma estratégia desse clube para aumentar o seu poder financeiro e negocial dentro do futebol português. Nem espero ter que te lembrar que eles já transmitem os jogos do Farense e, em breve, vão fazê-lo com muito mais clubes. Nem preciso de te dizer que parte do dinheiro que lhes dás é usado para comprar e pagar salários aos seus craques. Nada que tu certamente não saibas. E uma coisa te posso garantir, meu caro: com eles a Autoridade da Concorrência não se vai meter. E olha que a AdC mete-se em tudo!
Chega de dar tiros nos pés. Chega de financiar o rival. Chega de assobiar o nosso clube. ACORDA Sporting !"

terça-feira, 28 de outubro de 2014

David e Golias

No início da época li um interessante comparativo entre Sporting e B.Dortmund.
Salve as abismais diferenças socioeconómicas, a verdade é que a tentação para comparar o percurso de ambos os clubes é grande.
Os alemães passaram também por uma profunda crise financeira, e em 2005 quase bateram no fundo, mas o clube reergueu-se graças a um rigoroso plano de reestruturação.
Passado pouco tempo já ombreava com o colosso Bayern, clube com o dobro do orçamento para transferências e o triplo para salários.
Neste lapso de tempo o Dortmund chegou em 2012/13 à final da Champions, conquistou dois campeonatos,
três Supertaças e duas Taças da Alemanha.
Com este grau de sucesso, a tentação para traçar algum tipo de paralelismo ganha contornos esquizofrénicos....mas a verdade é que as realidades ainda não se cruzam.
Logo à partida porque, no plano desportivo, o Sporting compete num dos campeonatos com maior nível de batotice da Europa, e porque na Europa, como se pôde recentemente constatar, os Golias mostram aos Davides que a conhecida lenda não faz sentido nenhum.
No entanto, serve de consolo o facto do Dortmund ter esperado 4 ou 5 anos até colher frutos da sua nova política, e o Sporting ainda está a dar os primeiros passos do seu novo paradigma.
Contudo, há um dado novo nesta equação.
É que a equipa de Jürgen Klopp arrasta-se esta época nos últimos lugares da classificação, um pouco à imagem do Sporting no seu annus horribilis.
O Borussia está encostado aos lugares de despromoção, já a impensáveis 14 pontos da liderença, com a agravante de ir jogar na próxima ronda a casa do líder Bayern.
 
Com este cenário...não sei se quero que comparem o Sporting ao Dortmund.
Já tivemos a nossa dose.


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A Dama e o Vagabundo

A eleição de Luís Duque como presidente da Liga é visto pelos sportinguistas como uma traição, mas para outros é o consumar de uma relação.
Há muito que se falava de uma aliança entre porto e benfica, sempre prontamente desmentida pelos visados...mas a almoçarada na Mealhada esventrou o tesouro tão bem guardado.

Consigo imaginar os presidentes em amena cavaqueira, empernados por debaixo da mesa e trocando um bocado de costela por um pouco de pele estaladiça...que a um deles provoca gases.


Enquanto isso, os adeptos de ambos os clubes continuarão a digladiar-se e negarão esta santa aliança...do mesmo modo que desdenham as escutas onde os respectivos presidentes foram visados.
Este romance tem todos os atributos para evoluir para um duradouro casamento.
Como o que uniu, para alegria de muitos, a Dama e o Vagabundo.
Sabemos como os extremos se atraem.

E foi precisamente desses extremos que ele chuparam...chuparam o que as forças lhes permitiu, até ao beijo surpresa.
Esta história só não terá final feliz se um deles quiser abarbatar-se com mais esparguete que o outro.



18 anos de jejum

Passámos meses a ler e ouvir sobre o jejum de golos de Montero.
Alguns jornalistas da nossa praça muniram-se de máquina calculadora...ou tiraram o lápis de trás da orelha, e começaram a somar dias. O hiato foi alimentado por alguns árbitros, que se associaram à contabilidade, invalidando alguns golos limpinhos, limpinhos.
Anderson Polga, mesmo sem ser avançado, também teve que passar por idêntica provação, mesmo que não fosse excrutinado todos as semanas.
A comunicação social acabou por influenciar os adeptos, que também já exigiam ao central que marcasse golos...mesmo que não fosse essa a sua obrigação nem especialidade.
Pois bem, depois do sorteio da Taça de Portugal, que irá promover a visita do Sporting ao campo do Sp.Espinho, decidi facilitar a tarefa à comunicação social.
Deste modo, posso referir que o Sporting, inacreditavelmente, não vence em Espinho há 18 anos.
Sim, 18 anos.
Foi há tanto tempo, que por essa altura Passos Coelho ainda devia andar a colar cartazes da JSD.
Por essa altura dançava-se a Macarena, dos Del Rio, e a Celine Dion punha pele de galinha aos mais sensíveis.
Muito chorei eu a ouvir a Macarena.

O Sporting não vence em Espinho há 219 meses, quando Bill Clinton foi reeleito presidente dos EUA. Nessa altura, as torres gémeas ainda estavam direitas, e Mónica Lewinsky ajudou o presidente a endireitar a sua.
O Sporting não vence em Espinho há 952 semanas, quando andavam todos doidos com a doença das vacas loucas mas um tresloucado ministro comeu mioleira em directo na Tv.  A princesa Diana e o Carlos da Camila divorciaram-se, bem como mais uns milhares de pessoas.
O Sporting não vence em Espinho há 6.664 dias, por alturas em que Nelson Mandela assina uma nova Constituição que põe fim ao apartheid na África do Sul. Por essa altura ainda nem era sócio do nosso clube.
O Sporting não joga em Espinho há 18 anos mas, que diabo, que interessa isso.
A Montero também contaram os meses que esteve de férias.

sábado, 25 de outubro de 2014

Coro de Santo Amaro de Orelhas

A deserção de Shikabala parece ser um assunto em banho-maria, mas ainda parece preocupar alguns e fazer as delícias de outros.

É óbvio que nenhum sportinguista pode ficar satisfeito com o caso criado pelo egípcio, mesmo que tentemos disfarçar o incómodo fazendo alusões à sua fraca prestação desportiva, à sua origem, à sua cultura ou até ao Estado Islâmico.
Já os rivais, mais unidos que nunca, lambuzam-se de felicidade.
Uns cacarejam espalhafatosamente...outros bufam-se de alegria.

Apesar das expectativas criadas ao redor da chegada de Shikabala, o rei-do-deserto, a verdade é que este voltou a demonstrar que o seu futebol é que é um deserto e na cabeça só tem areia, dando razão a quem já lhe tinha feito o raio-X:

"Acima da média, mas demasiado vedeta. Perdeu a humildade e arranja problemas permanentemente. Tem tanto de bom jogador como de mau profissional." (Manuel José- Janeiro de 2014)

É verdade que todas as contratações têm um risco inerente, mas há atletas que carregam consigo um ónus de desconfiança. Poucos são os que se libertam dele, e jogadores como Bojinov ou Jeffren confirmaram o fardo que traziam às costas.
Perante uma situação sem retorno possível, fiquei hoje a saber as últimas: "Shikabala sem ordenado, sem carro e despejado".

Sinceramente, pensando nos problemas que o Sporting teve para rescindir com algumas das sanguessugas herdadas pela presente direcção, parece-me que, ao esfumar-se, Shikabala nos está a livrar do problema que ele próprio criou.
Ainda assim, o Coro de Santo Amaro de Orelhas e sua delegação do Norte é que estão cada vez mais ensurdecedores, aproveitando qualquer oportunidade para denegrir o Sporting.
Só não percebo, no caso concreto, o que leva um lampião a ridicularizar a fuga de Shikabala, quando tiveram Oblak que fugiu não uma...mas DUAS vezes.
Ou os inúmeros casos com que o departamento jurídico dos corruptos tem que lidar, como o mais recente de Rolando.
É que não percebo mesmo.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Passatempo

PASSATEMPO

1 - Sporting-Marítimo. Em que altura Nani verá um amarelo.

a) 1ª parte
b) 2ª parte
c) Ao intervalo

2- Quantos portugueses vão jogar de início pelo porto, em Arouca?

a) 0
b) 1
c) 1,5


3- Quando será expulso um jogador do braga, no jogo contra o benfica.

a) nos primeiros 15 minutos
b) no decorrer da primeira parte
c) Na altura em que der mais jeito

O que esperar do protesto?

A UEFA puniu a Albânia (que tem uma bandeira com milhafres) com uma derrota administrativa por 3-0,na sequência dos incidentes do jogo disputado em Belgrado, contra a Sérvia (que tem uma bandeira com milhafres) .
Mas também pune com a perda de 3 pontos a selecção sérvia, pelo que na prática foi atribuida derrota às duas selecções.
Esta decisão agradará, por certo, aos responsáveis da FPF, que vêem assim o horizonte da sua (nossa) selecção muito mais desanuviado.

Mas, sinceramente, a quem lhe interessa um jogo envolvendo equipas com milhafres na bandeira?
 
Com esta inovação regulamentar, o que podemos esperar dos "Illuminati" perante o protesto do Sporting relativamente ao jogo com o Schalke Gazprom?

Será que vão mandar efectuar os 30 segundos de jogo que faltavam, com a bola na cabeça de Huntelaar?
Será que a UEFA cede ao nosso pedido e vai pedir 500 mil euros adiantados à Gazprom para pagar ao Sporting?
Será que fica tudo como está, mas punem a equipa de arbitragem com uma chibatada por cada erro grave em prejuízo do Sporting?

Ou será que pela calada ainda ameaçam e aconselham o Sporting para ficar de boca fechada, relembrando a questão do fair play financeiro?

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Política nacional e internacional

Volto a pegar nas palavras de JJ, até porque hoje fazem capa de um jornal.


"Carregam as equipas (portuguesas) com amarelos e depois é mais fácil expulsar. É um assunto político, que temos de combater em campo".

Ao olhar para a folha de jogo de alguns jogos da lampionagem, fico com a ligeira sensação que a questão política também tem raízes em Portugal.
É que Boavista, Estoril e Moreirense já foram carregados com alguns amarelos...e depois foi mais fácil expulsar.


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Larga-me a braguilha

Disse J.Jesus

«O árbitro condicionou muito a equipa do Benfica, nos primeiros 20 minutos penalizou-nos com dois amarelos. O facto de Portugal estar à frente de Itália e França no ranking da UEFA… Na Alemanha fizeram a mesma coisa ao Sporting. Carregam as equipas portuguesas com amarelos e depois é mais fácil expulsar. É um assunto político, que temos de combater em campo»

Então...a criatura do limpinho,limpinho fala da arbitragem de cada vez que não vence?
Que coisa estranha.

Mas o que é deveras lamentável é que esta figurinha venha comparar a pilhagem que o Sporting sofreu com um jogo igual a tantos outros.
Colocar no mesmo patamar dois cartões amarelos...com um golo em fora-de-jogo, uma expulsão rigorosa, um penálti patético e uma dualidade de critérios gritante é, no mínimo, um atentado à inteligência das pessoas.

Usa e abusa do mediático roubo para justificar o insucesso europeu do seu clube.
Oh homem, deixa a nossa braguilha em paz.

Resultados na hora

Andebol

Final


Sporting 30 Águas Santas 23

(12-14 intervalo)


Hóquei em patins

Final

H C Tigres 2 (42', 49) Sporting 8 (T.Losna 12', R.Figueira 13', A.Moreira 16' 32', J.Pinto 23', 24', Poka 34', 47')

(intervalo 0-5)

Herói vs vilão


Sabemos como é fácil passar de herói a vilão...e vice-versa, num piscar de olhos.

Patrício voltou a tornar-se réu...quando ele foi mais uma das vítimas no relvado de Gelsenkirchen.
Falhou? Sim, como os melhores também falham.



Maurício, esse, continuou como réu...ele que esta época tem sido escrutinado constantemente.
Acho no entanto curioso como se ataca cegamente o atleta, e que se considere que o jogador não tem classe para envergar a camisola leonina.
Mesmo que metade dos analistas considere injusta a sua expulsão....e a outra metade não seja taxativa no veredicto.


É impossível saber a que equivaleria uma entrada imprudente com outra camisola vestida.
O que eu sei é que ontem, no Estádio do Ladrão, vi Danilo cortar uma jogada perigosa com o braço e o cartão ficou no bolso.
O que eu sei é que ontem, no Estádio do Ladrão, vi Casemiro fazer uma entrada que poderia valer o vermelho directo e nenhum cartão voltou a sair do bolso.
Tudo isto no espaço de um ou dois minutos.

A qualidade e inteligência destes jogadores conseguiu sobreviver a mais um jogo.

Com o mal ou o bem dos outros podemos nós bem, e estes exemplos não nos dizem respeito...mas perante as evidências seria interessante focar a natural revolta nos verdadeiros carrascos das aspirações leoninas.
Ou, melhor ainda, diluir a revolta e redobrar o apoio à equipa no importantíssimo jogo do próximo fim-de-semana.

Eles merecem.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Assalto

A quadrilha de Sergei Karasev atacou na Alemanha.

Neste assalto à mão armada foram roubados 500 mil euros, 1 ponto e, provavelmente, mais uns milhões correspondentes à passagem aos 1/8 de final.




UEFA Youth League



Os juniores do Sporting jogam às 13 horas na Alemanha, com o Schalke 04, em encontro a contar para a 3ª jornada UEFA Youth League.


Se a goleada caseira perante o Chelsea (0-5) ainda deve assombrar muito boa gente, os indícios dados no campeonato nacional também não são animadores.

O empate do último fim-de-semana com a U.Leiria veio confirmar que as também recentes vitórias sofridas perante B.M.Almada e Casa Pia…ou a derrota diante do benfica, todas elas na Academia, não auguram uma época de grandes sucessos desportivos.

Perante estes indícios, talvez não seja mau de todo não haver transmissão televisiva do encontro.



FINAL:


Schalke 3 (4’, 28'. 87') Sporting 0

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Galheteiro


Hoje surgiu a “novidade” de que porto e benfica deram uma vez mais as mãos na escolha para a presidência da Liga de Clubes.

Luís Duque aceitou o digníssimo convite que recebeu, corroborado por 27 clubes da I e II Ligas.
Estranho seria que a carneirada não desse o aval a este cozinhado, temperado com esmero.

Mas não deixa de ser interessante assistir ao evoluir desta velha aliança, talvez urdida há duas semanas atrás num restaurante da Mealhada.
Benfica e porto são como o azeite e vinagre de um galheteiro.
Vão sempre juntos para a mesa para temperar o seu repasto.
Podem parecer eternamente de costas voltadas...e que nunca se misturam, mas coabitam sempre no mesmo prato.

Cada um tem a seu lado uma pitada de sal e pimenta, pequenos grãos…pequenos clubes.
Quase não ocupam espaço, ninguém dá por eles… mas também gostam de sentir que fazem parte do cozinhado.



O Sporting não entra nesta caldeirada, mas vai ver associado ao seu bom nome alguém a segurar no galheteiro.

Haja paciência.


O medo


O jogo na Alemanha já está aí ao virar da esquina, mas é inevitável pensar ainda na vitória do fim de semana.

Estive hoje a ouvir Bruno Roseiro, na Sporting Tv, onde este recordava a cultura de medo que imperou no Norte durante décadas.
Esteve a relatar as contingências e dificuldades de ver um jogo no Estádio do Ladrão, mas concluiu que a cultura do medo tem os seus dias contados, mesmo que ainda tenham ocorrido umas tentativas de agressão a quem ostentava símbolos leoninos.



O medo foi semeado por mãos calejadas e maliciosas, e ganhou raízes profundas.
O medo de visitar aquele estádio, fosse pelos adeptos, equipa visitante ou demais agentes desportivos tornou-se galopante.
O medo do que pudessem encontrar nos balneários, no túnel de acesso ou no próprio relvado. 
O medo de não singrar na carreira arbitral.
O medo de expressar livremente os sentimentos em plena coutada.
O medo de relatar as incidências do jogo ou de fazer perguntas na sala de imprensa.


Marco Silva disse, no pós-jogo, que o Sporting não poder ter medo de jogar para ganhar, mas a verdade é que o medo faz parte da condição humana.

Espero que no passado Sábado se tenha dado mais um passo para o vencer.
Que se tenha dado um corte radical na raiz dessa erva daninha.

video