segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A Dama e o Vagabundo

A eleição de Luís Duque como presidente da Liga é visto pelos sportinguistas como uma traição, mas para outros é o consumar de uma relação.
Há muito que se falava de uma aliança entre porto e benfica, sempre prontamente desmentida pelos visados...mas a almoçarada na Mealhada esventrou o tesouro tão bem guardado.

Consigo imaginar os presidentes em amena cavaqueira, empernados por debaixo da mesa e trocando um bocado de costela por um pouco de pele estaladiça...que a um deles provoca gases.


Enquanto isso, os adeptos de ambos os clubes continuarão a digladiar-se e negarão esta santa aliança...do mesmo modo que desdenham as escutas onde os respectivos presidentes foram visados.
Este romance tem todos os atributos para evoluir para um duradouro casamento.
Como o que uniu, para alegria de muitos, a Dama e o Vagabundo.
Sabemos como os extremos se atraem.

E foi precisamente desses extremos que ele chuparam...chuparam o que as forças lhes permitiu, até ao beijo surpresa.
Esta história só não terá final feliz se um deles quiser abarbatar-se com mais esparguete que o outro.