quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ave de mau agouro

Fernando Seara vai anunciar hoje a candidatura à Liga de Clubes.

Foram muitos os anos em que as árvores de fruto dominaram a paisagem. A fruta da época passou a fazer parte do dia-a-dia do futebol português.
Numa fase de transição, o cultivo do melão provou ser nefasto para o crescimento do PIB e para a auto-estima de um país consumido pela crise.
Parece que vamos voltar ao grande latifúndio, onde os campos irão ser explorados até ao limite da sua capacidade.
A confirmar-se que outra ave irá ocupar aquele poleiro, será o consolidar da rotação de culturas em curso.

Enquanto assistimos impávidos a esta reforma, o Sporting continuará encolhido no seu pequeno quintal, mas ainda assim à mercê da passarada gulosa.
Os corvos continuarão a pilhar-nos o esforço do nosso trabalho e dedicação.

Não é com espantalhos que contemos a sofreguidão da passarada, pois é bicheza esperta e persistente.

No final da década de 90 decorreu na Berlenga a Operação Larus, que pretendeu controlar a praga de gaivotas na ilha, pois punham em perigo o equilíbrio do frágil ecossistema. O extermínio controlado não obteve os resultados desejados.

No continente parece que também corrermos sérios riscos, face ao domínio de uma espécie sobre as outras e ao desequilíbrio no ecossistema.
É o chamado sistema.