domingo, 12 de julho de 2015

Um ano de pernas



Lá para o final da próxima semana a Sporting Tv completará o seu primeiro ano de emissões.

O sonho de muitos sportinguistas foi tornado realidade e, desde então, o clube passou a estar mais perto dos que têm, na distância física, uma barreira intransponível.

Mas são muitos os que ainda não vêem com bons olhos o canal leonino.

Seja pela grelha de programação, pela falta de rigor numa ou noutra peça, pela falha de alguma transmissão agendada ou pelo desconhecimento das regras de um ou outro comentador…tudo é motivo para desabafarem que “para isto, mais valia não termos tv”.

E a verdade é que a grelha podia ser melhor, mesmo já tendo sido pior.

E é também verdade já me apercebi de gafes que não deviam acontecer.

Não menos verdade é que já me senti frustrado por não emitirem um jogo anunciado.

É evidente que já me senti envergonhado por assistir a comentários desfasados algumas décadas da realidade da modalidade em causa.

No entanto, nem por um momento considerei que mais valia não termos Sporting Tv.

Apesar da notória diferença de longevidade e de experiência, continuo (quase diariamente) a assistir a lapsos em canais generalistas e desportivos que…a acontecerem na Sporting Tv, seriam inaceitáveis.

Como com quase tudo o que acontece no Sporting, alguns adeptos leoninos e outras figurinhas estão sempre prontos a dar umas boas vergastadas no lombo do absorto leão.

Como o conhecido jornalista João Miguel Tavares, que há um ano atrás publicou este bonito pensamento premonitório e de atento observador do fenómeno desportivo.



“...há dias foi apresentada a primeira foto promocional da futura Sporting TV. 


 E o que esta notável imagem demonstra é que o futebol é mesmo o último reduto do labrego português, que se baba por gajas boas de mini-saia. Diz o labrego enquanto rói tremoços e sorve uma bejeca:

 - Eh, eh, eh, tu topaste aquelas gajas da Sporting TV? Ah, leoas!

 Enfim, esta seria a parte publicável de um hipotético comentário labrego. Porque, de facto, aquela foto é um extraordinário convite à manifestação do macho lusitano mais cavernícola.

 Estão ali 11 pessoas. Cinco são machos de fatinho, a maior parte dos quais ocupa o plano da frente e tem programas "de autor". Seis são fêmeas de mini-saia, relegadas para segundo plano, e ali colocadas a mostrar o corpinho apenas para fazer tintilar o homem futebolístico nacional.

 Os gajos estão lá pelo intelecto. É tudo gente que percebe de bola. As gajas só estão lá mesmo pelas pernas.

É que podia haver uma menina de calças. Outra de saia comprida, só para disfarçar. Ou pelo menos uma senhora de cabelos brancos, como o Fernando Correia. Mas não. Ali o que se quer não são mulheres. São gajas boas, que possam convencer mais facilmente um qualquer Cristiano Ronaldo a dar uma entrevista rápida à Sporting TV.

Em Portugal, estamos no ano de 2014. Mas a cabeça do Portugal futebolístico ainda vive em 1964. São estes os novos valores que Bruno de Carvalho veio dar ao futebol português? Alguém acerte o calendário daquele pessoal, se faz favor.


Com este notável texto, não só ficámos a saber que foi Bdc quem fez o casting do elenco feminino, como que o canal é apenas vocacionado para o futebol e que o perfil do adepto leonino (principal consumidor da Sporting Tv) é maioritariamente composto por labregos.

Labregos que comem tremoços…logo, com algumas possibilidades de ainda irem parar ao Panteão.

É claro que o começo das gajas não foi fácil…como não foi o dos machos, mas apesar de por vezes ainda haver dificuldade em dominar o complexo léxico usado na taberna pelos amantes da bola, os progressos foram evidentes.

Por isso, a gaja que acompanha o hóquei em patins ou a gaja que acompanha o andebol demonstram já um à-vontade notável…algo que seria impensável ao vermos as suas torneadas pernas.

A gaja que apresenta o Nomes que Brilham também registou enorme evolução, talvez apenas justificável pelo facto de estar em permanente contacto com machos intelectualmente válidos.

A gaja que anda pelos Núcleos e modalidades várias tem, para lá de duas pernas roliças, outros atributos físicos que farão o adepto mais cavernícola engasgar-se com o tremoço, mas a verdade é que a maior parte das vezes temos que nos distrair com o seu simpático sorriso e o descontraído conteúdo das suas aparições.

Diz JMT que o Portugal futebolístico ainda vive em 1964. 
Tinha ideia que as gajas dessa altura tinham bigode e usavam as cuecas da avó…mas isso pode ser apenas um preconceito meu.