sexta-feira, 19 de setembro de 2014

G'anda Buba



O Sporting tem encontro agendado para Barcelos no próximo Domingo, e é garantido que o Gil Vicente não poderá contar com Pecks e Yamissi, os seus centrais titulares.
Uma das possibilidades em aberto é que a dupla seja formada por Gladstone e Evaldo.

GLADSTONE E EVALDO? Irraaa!

Os adeptos leoninos até têm um arrepio na espinha, só de pensar nestes dois pisa-papéis.
Se um só já incomoda, os dois juntos podem provocar uma paragem da digestão.

Numa semana em que tanto se falou em duplas de centrais, só mesmo esta hipótese para nos fazer acreditar que há coisas piores na vida do que termos perdido dois pontos e umas centenas de milhares de euros no último pesadelo.
Mesmo que tão cedo não nos esqueçamos que a nossa dupla, à vez, amorteceu a bola e isolou o jogador adversário para nos fazer o golo.
Ainda por cima um esloveno lampião.

Bem, mas convém não esquecer que o karma que nos persegue não permite esboçar um sorriso ao pensar em Gladstone e Evaldo lado a lado.
O Sporting tem até muito galo com alguns ex-jogadores.
Recordar-me que o Mexer já foi feliz ao defrontar o Sporting, ou que até Hugo já foi uma muralha intransponível, faz-me temer esta possibilidade.
Ainda por cima com alguém chamado...Glad Stone.
Um pedregulho satisfeito é o pior que nos pode acontecer.

Além disso, com a renovada dificuldade em marcar golos,(tal como aconteceu na inenarrável época que todos queremos esquecer) qualquer jogador parece talhado para fazer uma boa exibição frente aos nossos avançados.

Mas, se por obra do acaso marcarmos algum golo, o tempo restante será passado a olhar para o relógio...à espera que o 4º árbitro levante a placa.
Essa placa quer dizer que o Sporting irá sofrer um golo nos próximos...3 ou 4 minutos, e é deveras assustador  aperceber-me que alguém consegue prever o futuro.

Por falar em centrais que parecem pedregulhos e golos fora-de-prazo, recordo-me de um episódio que prova que há incidentes que só acontecem ao Sporting.
Num Beira Mar-Sporting da época 2006/07, o central Buba marcou-nos três golos...o último dos quais aos 94 minutos numa falha colectiva da defesa leonina.
Uns minutos antes tinha marcado o 2º, a passe de Jardel.
O avançado tinha entrado pouco antes e, graças à forma arredondada que o caracterizava na altura, foi a rebolar até à nossa área a tempo de isolar o defesa  goleador,  sem sequer tirar os pés do chão.
O homem só marcou esses 3 golos nessa época, e nos últimos 7/8 anos só voltou a marcar por um par de vezes.

O melhor mesmo é apanhar uma g'anda buba...e esquecer a “sorte” madrasta que teima em nos perseguir.