terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

benfica - Sporting...segundo as circunstâncias

Alguns afazeres não me têm permitido vir aqui comentar a imensa actualidade do Sporting, mas não podia deixar passar em claro o remake do dérbi.
Depois de um ameaço de jogo, que terminou com um ameaço de implosão do Estádio, parece que desta é que é.
A verdade é que o benfica tem estado a trabalhar em contra-relógio para ter as obras termindas, e não podia deixar de ser de outro modo.
É que a equipa encarnada tem um calendário muito apertado, em ano de Campeonato do Mundo, e seria catastrófico para os seus interesses voltar a adiar o jogo.
Só não percebo como o Sporting aceitou esta data, que retirou as poucas vantagens competitivas de que dispunhamos caso o jogo se tivesse disputado no Domingo.
O benfica-Sporting de hoje vai voltar a açambarcar a atenção do país futebolístico, mas sempre a olhar de esguelha para cima, não vá o céu voltar a desfazer-se.
Hoje até foi notícia que voltaram a cair chapas no relvado, mas o clube da luz foi lesto a referir que era material que iria ser colocado na cobertura, e negou que estes elementos se tivessem voltado a soltar.
Seja como for, esta é a informação que teremos que comer como verdadeira, mesmo que durante o jogo surja a esvoaçar um steward ou um funcionário da Martifer agarrado a uma chapa.
Se for uma chapa nova, ficaremos muito mais descansados.

O que interessa e o que irá ficar para a história vai ser o jogo e algumas das suas incidências.
Espero ardentemente que nenhuma delas tenha a ver com a temida arbitragem, porque a pouca-vergonha já ultrapassou todos os limites.
Notícia de hoje foi também a presença de Jefferson nos convocados para o dérbi. No entanto, acredito que a sua chamada prende-se com a tentativa de confundir o adversário, nos chamados mind games.
Se a minha ideia estiver certa, Jefferson nem se irá sentar no banco...mas seria óptimo constatar que estou rotundamente enganado.

O jogo, como é de todos conhecido, terá início às 20.15 horas, e será apitado por Marco Ferreira, o madeirense que sentiu a necessidade de vir dizer que não tem clube.
Quanto à sua performance, hoje fiquei aliviado ao saber, pela "boca" de Vítor Pereira, presidente da Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que  Marco Ferreira "Está preparado para chegar ao jogo e fazer o melhor possível, segundo as circunstâncias".

Confesso que seria estranho ouvir Vítor Pereira dizer que Marco Ferreira não estava preparado, ou que ia fazer assim-assim ou o pior possível.
Confesso também que estou inclinado a desejar que a próxima chapa a voar espatife um talho, um carro ou qualquer outro bem material..., segundo as circunstâncias.