sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Despudor

A 48 horas do dérbi, os corações dos adeptos leoninos parecem estar divididos entre os detalhes de preparação da equipa e todo o estardalhaço que o sector da arbitragem tem provocado.
Os puristas defenderão que só nos devemos preocupar com o futebol que se joga dentro das quatro linhas. Aí é que está a essência do futebol.
O pior é que, dentro das quatro linhas, há outros que deviam passar despercebidos e, invariavelmente, acabam por tornar-se nas figuras de um jogo e, porque não, de um campeonato, dando razão a quem desconfia da verdade desportiva.
Ao invés de tempos recentes, a estrutura leonina tem tentado combater este cancro que vai ameaçando a sobrevivência do Sporting.
A presente época está a contrariar o que parecia uma inevitável decadência desportiva do clube.
Essa decadência teve um contributo inestimável de todos aqueles que, de forma incompetente, lideraram os destinos do clube nos últimos 25 anos, mais ano menos ano.
Essa decadência teve também a participação activa e decisiva da classe arbitral, a mando dos eternos interessados na bipolarização do futebol português, e da sua própria paixão clubística.
Durante este período de tempo tivemos boas e más equipas.
Com as más não conseguimos vencer, obviamente.
Com as boas, também não, menos num par de épocas que serviram para confirmar que não há regra sem excepção.
De nada valeu ter plantéis com Figos, Balakovs, Paulos Sousas e afins.
Então, como agora, os homens do apito têm-se mostrado intransigentes na sua "competência" em empurrar o Sporting escadas abaixo.

Como o clube parece ter despertado de um longo marasmo, já fez saber que
Bruno Paixão, Duarte Gomes, João Capela e Manuel Mota são considerados «benfiquistas assumidos que prejudicam sempre os rivais», num implícito veto a estes árbitros.
Nada que os rivais não o tivessem feito com os poucos que escapam à apertada malha azul e encarnada, através de íntimos contactos telefónicos ou por outros meios.
O Sporting há muito que devia ter vetado, explicitamente, algumass das crónicas bactérias que contaminam o ar que respiramos.
Com o clima adverso que o Sporting tem encontrado nos seus jogos, não me estranharia que esta lista aumentasse nos próximos dias. 

 Leonardo Jardim também já veio dizer que o Sporting tem tido alguns azares em relação à arbitragem, nos jogos  na Luz. Só lá foi uma vez enquanto treinador do Sporting, no jogo contra Duarte Gomes, e sentiu logo na pele o que Jesualdo tinha sentido o ano passado, contra Capela.

Este dérbi poderá confirmar o Sporting como candidato ao título, ou o benfica como candidato único.
Espero que, no mínimo, o video ilustrativo de uns singelos meses de despudor não tenha de ser revisto pelos seus autores.