quarta-feira, 19 de março de 2014

Que pivete!!

Já foi amplamente discutido o alcance e eficácia das várias guerras que Bruno de Carvalho abriu, ao assumir a presidência do Sporting.
Opositores, meros adeptos ou especialistas na arte de opinar consideraram a ousadia demasiado exigente, mas nada parece demover o presidente na sua cruzada.
Eram os bancos e a reestruturação da dívida, eram os media e a sua embirração com o Sporting, eram os árbitros, eram...essencialmente, os dois clubes que se digladiam pelo naco de terra, e que não querem mais um a exigir partilhas.
O Sporting reestruturou a dívida e também colocou os media em sentido...mesmo que alguns continuem na sua imbecil campanha anti-sportinguista.
O mais difícil é quando se tenta desincrustar ou extirpar parasitas que julgam que este é o seu reino. 
No seu longo percurso de parasitismo, alguns desses clubes utilizaram o Sporting como hospedeiro e dele se alimentaram.
Agora o Sporting começou a coçar-se, incomodado por ter a bicharada a sugar-lhe o tutano.
Parece que a bicheza se está a revoltar, pois tinha como dado adquirido que o naco de terreno não lhe era suficiente, e precisava deste naco de carne para sobreviver.
Depois de nos comer a carne, pretendia roer os ossos.

Pois bem, os "biches revoltaram-se" e o Sporting terá aqui a sua mais dura batalha na tentativa da sua regenaração, depois de anos a ser carcomido...a ponto de ter ficado um leão quase em pele e osso.
O Sporting ousou intrometer-se nesta luta pelos milhões, e cedo se percebeu que os milhões falam mais alto que os tostões.

Fomos chutados para canto, quando deviamos estar de novo na luta pelo lugar de rei desta impenetrável selva.

O Sporting reclamou o que julga serem direitos seus, e os parasitas manifestaram-se.
Depois do clássico de Alvalade o desespero aumentou, e já deram mostras que não pretendem ser extirpados sem oferecer resistência.
Hoje a conversa foi outra, e o comunicado visa responder às denúncias do leão aquando da sua deslocação ao estádio do ladrão.

Como um mentiroso mente sempre, não sei se alguma das queixas corresponde à verdade, mas não posso deixar de sorrir ao pensar que...finalmente, não demos a outra face (como proclamou outro célebre Jesus)...e "foi" recebido como merece.

Diz o site oficial do clube da fruta:

Manual de boas maneiras para viscondes

"Há gente que gosta de parecer muito educada e cordata e atira para os outros os males do mundo, como se fossem uma espécie de eleitos ou predestinados. Vem isto a propósito do comportamento, ou falta dele, dos responsáveis do Sporting no clássico de domingo.

​Pela defesa do futebol e até por respeito a todos os adeptos, independentemente da preferência clubística, o FC Porto manteve-se até aqui em silêncio. Mas depois de ver serem plantadas notícias falsas em jornais para quem o contraditório é um imenso mistério, sente-se o FC Porto obrigado a prestar alguns esclarecimentos.

É falso que o Sporting tenha cedido um camarote à Administração do FC Porto. O que aconteceu foi que após verificar que os convites enviados pelo Sporting não respeitavam as mais elementares regras da urbanidade, colocando os administradores separados na tribuna, uma empresa comprou um camarote por dez mil euros e cedeu-o ao FC Porto, para que a Administração pudesse assistir toda junta à partida.

Separar os elementos da administração de um clube rival é um comportamento sem precedentes no futebol português, mas que deve fazer parte de um qualquer manual de boas maneiras a que só distintos viscondes têm acesso. Só estranhamos as pessoas sentadas nos lugares adjacentes aos que estavam destinados aos nossos administradores, não pareciam saber francês, nem sequer tocar piano. Eram assim como que… qualquer coisa entre o pirata de argola na orelha e o rufia de filme de série B.

Aproveitamos também para esclarecer o Sporting, que o belo Estádio do Dragão é mesmo a nossa casa. É tão lindo, funcional, já nos proporcionou tantos títulos e nunca foi confundido com qualquer outra coisa que estranhamos o envio dos bilhetes e convites para o Vitalis Park, antigo campo da Constituição. Não se preocupem, quando tivermos de lhes enviar bilhetes e convites recebê-los-ão na morada que indicaram à Liga e não no estádio do Lumiar ou qualquer outro sítio que no passado tenha sido a vossa casa.

E já agora, dentro do prazo regulamentar de cinco dias de antecedência, mas claro que contar até cinco já é uma questão de competência, não de pedigree.
Isto para não falar no vocabulário de gente que não consegue mais do que aparecer escarrapachada em revistas do social, mas que quando abre a boca está muito longe de ter a graça e o encanto das portuenses vendedoras do Bolhão.

Em suma, como dizia Einstein, duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana, mas em relação ao universo continuamos sem ter a certeza absoluta."




Rai´s partam a sarna!!