segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Fosso céptico

Foi amplamente divulgado nas redes sociais o vídeo de um jovem adepto leonino, onde põe à prova a sua capacidade crítica (como todos devemos ter) sem com isso colocar em causa (para alguns) o seu amor ao clube.
Pois bem, esse vídeo foi ganhando o seu espaço e, como seria de esperar, os media trataram de lhe dar o ênfase necessário, ou não fosse essa uma boa oportunidade para colocar alguma carga negativa no descontraído clip.
Curiosa é a abordagem do Correio da Manhã (clicar)
Claro está que não deve passar de um lapsus linguae, adaptado à escrita, mas dado que este jornal tem uma predilecção por colocar o Sporting na fossa, não deixa de ser curioso verificar que divulgam a notícia destacando, entre outras, as críticas do jovem leonino à fossa existente entre público e relvado. 
Ao som da música ‘That I Use to Know’, de Gotye, Diogo Sena encena um original videoclip onde lança críticas à táctica da equipa de Sá Pinto, ao estado de falência técnica dos leões, à falta de títulos nos últimos anos e, até, à fossa existente entre as bancadas e o relvado no Estádio Alvalade XXI.

No fim, é ainda acompanhado por um jovem adepto benfiquista.

O vídeo, colocado no passado sábado, dia em que o Sporting empatou em Alvalade com o Estoril (2-2), já foi visto mais de 300 mil vezes.
Fossa??

Fossa - Cavidade subterrânea para onde se despejam dejectos.
Fosso - Escavação em volta de fortificações, entrincheiramentos, etc.
O jornalista que teve a seu cargo escrever meia dúzia de linhas deve andar na fossa, para cometer este tipo de lapsos, com tão pouco para escrever.
Já houve quem levasse na fuça por acharem que faltaram ao respeito a determinado clube, mas no Sporting não há quem faça nada, mesmo que ultimamente já se comece a recorrer aos comunicados para colocar os pontos nos is, quando o clube não merece o tratamento devido.
Esta peça não merece essa atenção, mesmo que a mim não me passe desapercebido, pois com certo tipo de jornalismo estou sempre com os dois pés atrás. 
Por acaso sempre fui céptico relativamente ao fosso, mas muito mais a uma fossa séptica, a não ser para lhe dar um uso adequado.
Depois da queda de dois adeptos no referido fosso ter sido alvo de chacota por um par de imbecis no Canal Q, agora um outro iluminado lembra-se de lhe chamar fossa. Não terá passado de uma distracção, acredito, ou não fosse uma notícia do Curreio da Manham.