domingo, 8 de dezembro de 2013

À terceira foi de vez

Gil Vicente 0 Sporting 2

Hoje o dia foi de fortes emoções.
Foi o dia da celebração do 11º Aniversário do Núcleo da Carapinheira, mas também de importante jogo na nossa caminhada para ganhar...jogo a jogo.
O dia começou ainda o sol não se tinha espreguiçado, e só terminou há minutos atrás, pelo que não tive tempo para actualizar o blog...nem sequer os meus pensamentos.

Se em breve irei publicar alguns momentos da Festa da Carapinheira, já relativamente ao jogo não me irei extender em comentários.
Diria tão só que os provérbios populares raramente falham, e quando falham arranja-se logo outro que confirme a evidência.

Hoje poderia dizer-se que "À terceira foi de vez".

Este provérbio poder-se-ia adaptar à quantidade de vezes que Jorge Sousa guardou o cartão vermelho, antes de se decidir admoestar um jogador do Gil.
Perdoou uma expulsão após entrada violenta a Adrien, depois perdoou expulsão a uma agressão a André Martins, mas à terceira foi mesmo de vez, e não conseguiu voltar a fechar os olhos, perante a insistência dos gilistas no jogo violento.

No entanto, como há sempre um provérbio para contrariar, hoje poder-se-ia dizer que "Não há duas sem três!.

Este poderia adaptar-se à quantidade de jogos que o Gil, sensação do campeonato, leva sem vencer.

No entanto, tal dito popular também terá toda a razão de existir, caso o Roscof arranje uma estratégia para, uma jornada mais, manter o benfica no topo da classificação.