segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Cueca verde

O ano 2013 já está com espasmos.
Está decadente, a dar os últimos suspiros de vida.
Não é algo que me preocupe muito porque não irá deixar muitas saudades, mesmo que este avançar vertiginoso signifique envelhecer a um ritmo também ele vertiginoso.
O ano 2013 estrebuchou com um clássico que terminou empatado, mas que mostrou um Sporting com uma saúde invejável, que até há pouco tempo pareceria uma miragem.
No entanto, este ano não vai deixar saudades à maioria de nós.
Um ano marcado pelo agravar da preocupante crise do Sporting mas, pior ainda, pela profunda crise nacional, que também está a provocar uma crise de valores.
O desemprego assola quase todas as famílias e o nível e qualidade de vida vão definhando.
Os ataques à saúde e educação fazem envergonhar o ataque do Sporting, que se destaca pela sua eficácia.
Um novo ano parece sempre trazer uma nova esperança, como se se pudesse apagar tudo o que está para trás.
Ainda assim, é com esse espírito que, uma vez mais, os portugueses irão abraçar a chegada do 2014.
Com cueca azul, provavelmente.
Muitos desmentem a dependência de superstições e crenças, mas o facto é que teimam em estrear ou reciclar a cuequinha azul na noite de 31, para atrair a boa ventura, a prosperidade, a sorte que anda desaparecida.
Eu já caí nessa tentação, depois de experimentar toda a gama disponível no Pantone.
Não consigo encontrar relação entre a cor da cueca e a fortuna, nos 365 dias seguintes.
Não sei quanto tempo terá esta superstição, mas acredito que tenha pouco mais de 30 anos.
Poderá ter surgido como uma grande maquinação, engendrada por uma mente perversa, para pôr o país inteiro, absorto, a fazer a apologia do azul.
Muitos dos que celebraram o novo ano de cueca azul já terão fenecido, o que comprova que a cor não tem carácter imunitário.
Muitos outros terão perdido os seus empregos, entrado em falência técnica ou visto morrer o seu papagaio.
A cueca azul, para todos estes, não devia passar de um embuste.
Dos muitos desejos que desfilam à meia-noite, por cada passa que é mastigada, a vitória do nosso clube aparece sempre, teimosamente.
Quem usa cueca azul e é portista, tem visto um dos seus desejos concedidos, mesmo que lhe tenham assaltado o carro nos festejos.
Todos os outros, sem dinheiro, sem emprego…sem papagaio, dão a cueca por mal empregue.
Por isso, caros amigos, este ano vou usar cueca verde…ou com o símbolo do Sporting.
Pode não aparecer emprego, pode que ninguém me deixe uma herança…pode até o Sporting passar um ano mais sem ser campeão.
Significará que a cueca, afinal, não tem poderes sobrenaturais.
Espero, qualquer que seja o efeito, que daqui por um ano cá estejamos todos, com a eterna esperança moribunda mas intacta, e confiantes em dias melhores.

Um bom ano 2014 a todos.