terça-feira, 4 de setembro de 2012

Czar ou...que azar?

Um jornal desportivo destaca hoje que Izmailov recusou sair do Sporting, apontando ainda que Spartak, Dinamo e Anzhi teriam demonstrado interesse no jogador.
Não é a primeira vez que tal facto é destacado ou noticiado, mas a dúvida permanecerá no ar. 
É óbvio que relativizo esta ou qualquer outra notícia, porque há muito que estes órgãos de informação nos dão matéria suficiente para olharmos para as suas páginas com desdém.
De qualquer modo, e dado que Izmailov ainda é uma das nossas figuras de proa, merece ser destacado neste espaço.
Assim, é com um paladar agridoce que saboreio o passado de Izma de leão ao peito.
Se até há pouco tempo o considerava como o grande catalizador da equipa, e um dos poucos com qualidade indiscutível para envergar a nossa camisola, o facto é que o tempo, marcado pelas suas constantes ausências e lesões, foram diluindo a aura de intocável.
Nos dois últimos anos, também o reforço da equipa no sector intermediário ajudou a minimizar e, em certa medida, a esquecer a sua preponderância no plantel mas em contrapartida, como há males que vêm por bem, pudemos assistir ao crescimento compulsivo de Carrillo, graças à desventura do médio russo e também de Jeffren.
O jogador russo, que completa 30 anos no decurso deste mês, entra na sua 6ª temporada como jogador do Sporting e, exceptuando a última época, foi sempre dando um menor contributo à equipa.
Se na época de estreia efectuou 45 jogos oficiais com a nossa camisola, em 2008 fora 34, na época seguinte 22 e na de 2010 somente 3.
O ano passado trouxe um renascimento do jogador e das nossas esperanças, mas os 25 jogos efectuados souberam a pouco, pois acabou por falhar alguns dos jogos das grandes decisões.
O seu reaparecimento, pouco antes de Sá Pinto tomar conta do barco à deriva, também poderá ter estado na origem da recuperação anímica e em termos qualitativos do futebol apresentado, mas ficaremos sem saber qual teria sido o resultado em San Mamés (2ª mão da meia final da Liga Europa) ou no Dragão, com a sua presença.
O seu enésimo regresso, na Final da Taça, mostrou-se apressada, pois o jogador exibiu-se ao nível da restante equipa e incapaz de gerir e impor os ritmos do jogo, que tão bem sabe fazer.
A chamada ao Euro2012 foi uma pequena vitória...do pequeno jogador, mas culminou com mais um disse/não disse com a imprensa russa. 
Se o relacionamento com a nossa comunicação social nunca foi o ideal, alegadamente por não dominar a língua de Camões, mais curioso é verificar que nas muitas entrevistas que concedeu à imprensa russa muitos são também os desentendimentos.
Desconfio que Izmailov fala russo com algum tipo de sotaque, pois as suas entrevistas são inúmeras vezes mal interpretadas.
Espero é que este ressurgimento na selecção não tenha o mesmo fim do peruano Rodriguez que, se bem se recordam, era tratado em Alvalade para...ir jogar pela sua selecção. Invariavelmente, regressava directamente para o departamento médico do clube, e vê-lo jogar com a nossa camisola era quase uma miragem.
Para o jogo da próxima 4ª feira, em que a Rússia irá receber a Irlanda do Norte, Izmailov não faz parte dos convocados de Fabio Capello, pelo que já fico um pouco mais optimista nesta matéria.
Tenho lido que Izmailov está praticamente pronto para mais um regresso à competição, mas temos a garantia quase absoluta que será um mera questão de tempo mais um ocaso do jogador.
Infelizmente para nós, tal como para quem aprecia o bom futebol e os executantes de excelência, também nós tivemos um Mantorras, se bem que o nosso não tenha meio metro de desnível entre as duas pernas.
O Sporting terá deixado passar uma das últimas oportunidades de lucrar algo com o jogador, caso seja verdade que, alguma vez, algum clube se interessou efectivamente pelo atleta.
Para os mais fervorosos adeptos do nº 10, (que carregou o fardo do enfeitiçado nº 7 durante 4 longas épocas) será tempo ainda de desfrutar com o seu estonteante drible, o seu remate fácil e a sua capacidade de entrega ao jogo, como poucos que vestiram a nossa camisola nos últimos anos.
Espero que ainda o possamos ver celebrar um grande título de leão ao peito. Por ele...por todos nós.
Se o Benfica perdeu Witsel e o Porto Hulk, com planteis bem mais recheados, que dizer do Sporting, que perdeu Izmailov há tanto tempo, sem se lamuriar!!