quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Na vanguarda da retaguarda

O Sporting prepara-se para,  finalmente, ter o seu canal de televisão.
Este anseio dos seus milhões de adeptos parece estar cada vez mais perto de se concretizar mas,  infelizmente, ainda não há datas previstas para o solene momento, apesar do vogal do Conselho Directivo do clube, Rui Paulo Figueiredo, apontar o começo das emissões para o ano de 2013.
Se as previsões não saírem furadas, poderão faltar 3...ou 15 meses!!
Quem esperou tanto, poderá fazê-lo mais um pouco, desde que o projecto seja credível e sustentável.
  
"Estamos a avançar com passos firmes no projecto do canal de televisão em relação ao qual esperamos notícias em breve", salienta o dirigente.

Rui Paulo Figueiredo revela ainda que o Sporting está a "avaliar possibilidades" e a tentar retirar lições das experiências de FC Porto e Benfica, com o Porto Canal e a Benfica TV. "Queremos fazer bem e rápido".
Claro está que, havendo modelos comparativos, podemos e devemos estudá-los para saber qual o melhor caminho a seguir.
No entanto, Rui Paulo Figueiredo bem que poderia ter camuflado esta dependência e tentar demonstrar que, apesar de todas as evidências, não andamos a reboque dos outros dois clubes, e que o Sporting tem um caminho próprio.
Talvez esteja assim mais que justificada a nossa galopante subalternização, pois há muito perdemos capacidade de intervenção e de decisão no panorama do desporto e da sociedade portuguesa.
Longe vão os tempos em que, apesar de estarmos atrás do rival lisboeta na conquista de títulos no futebol (e décadas à frente do outro do Norte) possuíamos um invejável palmarés nas modalidades e um pioneirismo ímpar, como pode por exemplo constatar-se ao lermos passagens da épica construção do Estádio José de Alvalade.

O crescimento contínuo do SCP, então a caminho dos 50 anos de vida, impunha um novo Estádio.
Foi necessário um grande esforço de mobilização sportinguista para erguer uma obra que, para a época, era pioneira e avançada no seu tempo, dispondo de condições únicas em toda a Península Ibérica. A construção do novo Estádio foi uma história feita de muitas histórias de dedicação, amor clubista e criatividade.
A iluminação do Estádio José Alvalade, outra inovação introduzida em Portugal pelo novo recinto, iria permitir a realização de competições nocturnas dos mais variados desportos, o que fazia com que o Estádio José Alvalade fosse o único da Península Ibérica com característica de Estádio Olímpico. Tal como o sistema eléctrico, a aparelhagem sonora montada no novo Estádio do SCP era na altura o último grito a nível tecnológico.
No entanto, este definhar do clube e dos seus horizontes não é fenómeno que tenha ganho preponderância nos últimos tempos, apesar de ser fácil apontar o dedo acusatório às mais recentes direcções e modelos organizativos .
Já no tempo de Carlos Queiroz como treinador do Sporting, portanto nos idos anos 90 e ainda sem Roquetismos e croquetismos à vista, já era notícia que o Guimarães tinha muito melhores condições de trabalho que o Sporting, com campo de treinos para a equipa profissional, enquanto o Sporting se debatia para arranjar locais decentes para o fazer.
Também o pavilhão, infelizmente, é um sonho adiado, apesar dos sinais positivos nesse sentido. Esta situação é impensável para um clube com esta dimensão e história, a nível das modalidades.
Ainda na época passada, o sérvio que veio jogar para na secção de andebol ficou admirado pela singularidade do clube, pois não ter local próprio de treinos e jogos era algo pouco consentâneo com a grandeza do clube.
Mesmo que tenhamos do nosso lado os argumentos que o Sporting não beneficiou das benesses concedidas a Benfica e Porto na altura da construção dos seus, a verdade é que a perda de poder negocial com as entidades responsáveis e o acomodamento à nossa sorte talvez seja, uma vez mais, um sintoma de que a falta de vigor do clube está relacionado com a qualidade de quem dirige ou dirigiu o clube, nas últimas décadas.
Quer-me parecer que, caso as coisas não mudem radicalmente, iremos passar a estar na vanguarda...da retaguarda, lutando ombro a ombro com o Braga ou outros, que queiram ascender ao patamar intermédio.