segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Sporting -Gil Vicente (directo- 20.15)

Depois de ter afirmado que o Sporting jogava a sua primeira final, no jogo com o Marítimo, desconheço como adjectivar o jogo de hoje, contra o Gil Vicente.
Carpiram-se as mágoas desse jogo, bem como do embate europeu.
Muita tinta foi gasta na imprensa desportiva e não só, muitas horas foram dedicadas em programas da mais diversa índole, muita saliva se gastou em tertúlias leoninas e, como não podia deixar de ser, muito se disse e escreveu na blogosfera.
Infelizmente, todos estes sintomas indiciam que algo vai mal (ou menos bem) no reino do leão, ou não se perderia tanto tempo a discutir o sexo dos anjos.
A maioria de nós, meros curiosos, bem como os especialistas na matéria (reconhecidos ou desconhecidos), identificámos um manancial de problemas a nível do futebol que se  pratica, que estão muito para lá da simples bola que teima em não entrar (vulgo azar), mas os ataques também foram muito além do futebol dentro das quatro linhas, o que obrigou Sá Pinto a vir a terreiro defender-se, bem como à equipa que comanda.
Se pode haver algumas dúvidas, relativamente a quem se devem atribuir as "culpas" pelo momento que a equipa atravessa, tenho pelo menos uma certeza. 
A "culpa" não é minha! 
Por essa simples razão, não vou aceitar que alguns possam vir a atribuir a quem emite a sua simples opinião, como contribuinte para o mau momento da equipa.
Por falar em opinião, no meio do vendaval que os últimos resultados têm gerado, alguns dos que se podem valer da escrita têm sugerido que se faça sentir em Alvalade o mau-estar que todos sentimos.
Pois bem, aqui está um ponto onde discordo em absoluto. Se na cabeça de Sá Pinto e nos pés (e eventualmente também na cabeça) dos jogadores poderá estar a resolução do problema, já tenho quase a garantia que essa mesma resolução não passará pelos assobios, pelos lenços brancos, vaias ou insultos dos adeptos.
Nunca fui apologista da desestabilização da própria equipa, pois já há uns milhões de adversários e umas centenas de agentes ligados ao fenómeno desportivo encarregues de tal tarefa.
Ao adepto está encarregue a nobre tarefa de apoiar mesmo que, em último caso, se o jogo não decorrer dentro das expectativas criadas e da exigência que o clube obriga a quem defende a sua camisola, possam descarregar a frustração no final do jogo, depois de terminada a empreitada de tentar incentivar os jogadores a fazer mais e melhor.
Espero que nada disso seja necessário, que Sá Pinto e os seus (nossos) jogadores possam sentir-se em casa e finalmente encarreirar a equipa para os lugares que lhe pertencem. 


Como é normal, podem seguir em directo o desenrolar do jogo, a partir das 20.15 horas, na SportTv1 ou num dos links que a seguir disponibilizamos.






Ligação 5