quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Maricones


José Mourinho foi acusado de homofobia pela co-presidente da Federação de Desporto de Gays e Lésbicas, Louise Englefield, que apelou à UEFA.

O treinador do Real Madrid terá usado o termo «mariconços» na Rússia, antes do confronto com o CSKA Moscovo.

Mourinho pronunciou a palavra quando questionou sobre que tipo de bola se ia jogar o CSKA-Real Madrid: "E esses mariconços, não nos dizem com que bolas se joga?"

A dirigente daquele grupo considera que a utilização do termo merece ser sancionada. "A homofobia é inaceitável por parte de qualquer pessoa no futebol, muito menos vindo de uma das principais figuras da modalidade", terá dito Louise Englefield.

Por este andar, ainda teremos a presidente da Associação Cultural e Recreativa das Prostitutas do Sul e Ilhas a reclamar pelos reincidentes desvairios linguísticos de João Pereira, e pedirão, por certo,  castigo exemplar por parte das entidades competentes.

Como, pelos vistos, é a palavra que tem conotações homofóbicas, se  Mourinho tivesse dito "E esses gays não nos dizem com que bolas se joga?" talvez escapasse à fúria dos sensíveis espíritos homo e lésbicos.

Assim, talvez seja melhor João Pereira começar a utilizar termos mais condizentes com a prática desportiva, e menos lesivas à dignidade das profissionais do sexo.
"Vai pr'á prostituta que te pariu" ou "Filho da prostituta" não será uma terminologia que se impregne em pouco tempo, mas se o lateral sportinguista não quiser a Associação ou, quem sabe, o respectivo sindicato à perna, mais vale que se cuide.
A reprimenda pública será uma punição mais dolorosa que qualquer um dos muitos castigos a que já foi sujeito.