quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Sporting de Cristal


O Sporting cumpriu os serviços médios. Os serviços mínimos seriam empatar e passar a eliminatória. Dado que ainda se deu ao luxo de ganhar o jogo, vai fazer com que me deite de barriga cheia.
Ok, já agora era bom que tivessem jogado um pouquinho de futebol. Nem era preciso muito...só um bocadinho para aguçar o apetite, mas convém não abusar para não nos habituarmos mal.
Foi isso que aconteceu no início da época, depois de duas épocas miseráveis, e vejam a depressão em que caímos. 
Dizem que depois de um largo período sem comer, como numa greve de fome, não convém empanturrar-nos, ou a comida pode cair mal no estômago. Aqui passa-se o mesmo. Temos que ir petiscando,  saboreando magras vitórias, até que chegue o ansiado manjar. Não sejamos glutões, por favor.
O jogo de hoje deixou várias evidências, e a mais gritante talvez seja a fraquíssima condição física que a equipa apresenta.
Apesar da entrega de todos os jogadores, essa capacidade de luta não consegue disfarçar a disparidade que existe contra qualquer adversário. Este problema não é recente, tanto que já faço esta referência há imenso tempo, mas quando defrontamos equipas que fazem do físico a sua arma, é mais notória a diferença. 
Desta vez o que nos salvou foi que a qualidade do Légia é inversamente proporcional ao seu poderio físico, o que facilitou de algum modo a nossa tarefa.
Outra das evidências, que provavelmente estará intrinsecamente ligada à primeira, tem a ver com a susceptibilidade que os nossos jogadores têm para se lesionar. 
O Sporting tem parcerias conhecidas e recentes, como o Cercle de Bruges, e já teve clubes satélite, como o Lourinhanense, mas parece-me que por este andar, o nosso clube será o primeiro satélite dos peruanos do Sporting Cristal, na Europa. Aliás, talvez já se perceba porque Rodriguez veio desse clube para a Europa.
Se algumas das lesões são puro infortúnio, a maioria deixa no ar um cheiro intenso de incompetência mas, já há pouco a fazer na corrente época para inverter este surto. 
Hoje, entre o minuto 71 e 74 parecia que estávamos a ver um jogue de bowling. A bola passou por perto e os pinos caíram a um ritmo cadenciado. Carrillo, Rodriguez e Izmailov foram os mais recentes, mas isto não deve ficar por aqui. 
Agora, resta tentar ter uma equipa à altura para mais um decisivo jogo, contra o Rio Ave, pois o 5º lugar continua em jogo, e em risco. 
O City, esse, ainda está a duas semanas de distância, e é impossível, por esta altura, saber com quem poderemos contar para essa eliminatória.