sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Regressos


Depois da auditoria, das queixas de Domingos, da demissão de Carlos Barbosa, das declarações de Godinho Lopes, Sousa Cintra, Eduardo Barroso, Soares Franco, Dias da Cunha, entre outros...e episódios que são o dia-a-dia do Sporting quando a bola não rola...ou não entra, eis que regressa o futebol.
Nada melhor para afugentar os fantasmas que um joguinho da bola ou, caso dê para o torto, nada melhor para tirar ainda mais uns esqueletos do armário.
Seja como for, amanhã a eterna esperança sportinguista ganha novo fôlego. Talvez por estarmos perante um novo ciclo que tem tanto de fundamental (no que toca à salvação da época) como de sabor agridoce (pelas expectativas goradas relativamente a outros objectivos) ou talvez pelos regressos tão ansiados, o certo é que a fé leonina ganha sempre novos contornos.
Se Wolfswinkel, Izmailov e Rinaudo poderão dar outra dimensão ao nosso futebol (e só deste modo poderemos sonhar com vitórias) também temos que estar conscientes que o nível que deverão apresentar estará longe do ideal. Ainda assim, mesmo que só tenham futebol para meia parte, ou um pouco mais, esse período terá que ser suficiente para levar o barco a bom porto, até porque nos habituámos a dar uma parte de avanço ao adversário.
Volto a não acreditar que, num estalar de dedos, a equipa volte ao bom futebol. Apesar da vitória perante o Beira Mar, com epicentro em Alvalade e com grau 10  na famosa escala 8 - 80, se conseguirmos elevar a magnitude do próximo abalo já será positivo.
Mesmo que este trio comece o jogo no banco, seremos capazes de voltar a olhar para as alternativas e ficarmos esperançados, ao invés de tempos muito recentes. Para contrapor, Jeffren decidiu que 3 jogos e 140 minutos de jogo foram suficientes para voltar a fazer uma visita ao Dr. Frederico Varandas,  Gonçalo Álvaro e demais equipa médica. As saudades apertavam e o reencontro deve ter sido emotivo.
Veremos quanto tempo teremos que esperar pelo seu regresso e se indica o caminho de volta aos campos a Schaars, pois já temos saudade dele.
Por falar em regressos, hoje Liedson diz que não descarta um regresso a Portugal, e que não fecharia portas a Benfica e Porto, porque é profissional. Soará a um passar de manteiga, para o caso de tal acontecer?  Por mim tudo bem, desde que apresente a deficiente condição física das suas duas últimas épocas de leão ao peito. 
Por serem todos tão profissionais é que mantenho a minha postura, desde sempre. Ídolos? Não, o meu único amor é o Sporting Clube de Portugal. 
Quem vê caras...ou camisolas, não vê corações, por isso eu prefiro só ver camisolas!!