terça-feira, 30 de abril de 2013

Nada farei...

Se até há pouco tempo a ida do Sporting às competições europeias era um dado adquirido, sendo aliás a única equipa portuguesa que sempre marcou lugar nas provas da UEFA e só ultrapassado por Barça e Real no número de presenças, o facto é que a próxima época pode vir a ser um marco negro nessa agradável história.
As contas estão deveras complicadas e a próxima jornada pode arrancar-nos a réstea de esperança ou, milagrosamente, consolidar o estatuto que nos é genético.
Se historicamente a norma era estar de olho, jornada a jornada,  nos jogos dos eternos rivais Porto e Benfica, este ano dei por mim a estar mais atento ao Paços de Ferreira e Braga. No entanto, na fase mais crítica da época, passei a olhar para o Moreirense e Beira Mar, quando até se falou em despromoção.
As coisas não melhoraram muito em termos classificativos mas, pelo menos, mudei de adversários.
Agora, tenho dado por mim a saber resultados e a interessar-me pelo calendário de  Nacional, Estoril, Guimarães,  Rio Ave e Marítimo.
Estes 5 clubes poderão ser um duro obstáculo para o Sporting lograr o seu único objectivo da época, alguns com calendários mais simpáticos que o nosso e cada um com as suas próprias ambições.
Bem, há um dos clubes que lutam pela Europa que pelos vistos está indeciso naquela hora em que lhe perguntam...."gostas mais do pai ou da mãe".

Carlos Pereira, presidente do Marítimo disse antes do jogo com o Benfica.
 
«Nada farei para que o Benfica não seja campeão»

Claro está que o dirigente ainda tentou compor o embrulho, dizendo:

«Ambas as equipas vão querer vencer. Nada farei para que o Benfica não seja campeão, mas também nada farei para que o Marítimo não vá à Liga Europa».
 
Eu sei que há mais presidentes (ou dirigentes) de clubes que têm uma costela...ou o arcaboiço inteiro da cor de um dos grandes do futebol português, mas acho inédtia esta declaração do Pereira e penso que deve fazer pouco sentido para alguns adeptos maritimistas.
No entanto, é curioso que o homem fez uma declaração pública de amor em que concordo em absoluto.
No jogo dos Barreiros também eu queria que o Marítimo perdesse, tal como queria que o Benfica perdesse.
Os encarnados, obviamente, por uma questão histórica e os verde-rubros por uma questão de conflito de interesses.

Com a vitória dos encarnados, acho que foi das poucas vezes que não fiquei muito chateado com o facto.....tal como não ficaria se acontecesse o contrário.

Pela minha parte, nada farei para gostar de qualquer um que não seja o Sporting, excepto quando jogam com Benfica ou Porto.