sexta-feira, 26 de abril de 2013

Três ponto sete

Pensei eu que o lamentável caso Capela tivesse morrido no decorrer da semana, em termos mediáticos.
Esperava, no entanto, que as culpas não morressem solteiras, e deste modo tinha a secreta esperança que o caso Capela ficasse bem vivo e se recomendasse, para memória futura.
No entanto, hoje surge a notícia que o artista teve a nota de 3.7 (numa escala de 0-5) no referido jogo.
Ou seja, o observador  Luís Ferreira, atribuiu um "Bom mais", qualquer coisa como 74%, se a escala fosse de 0-100.

A notícia realça que "é dada razão ao árbitro em todos os lances polémicos para grande penalidade que os leões reclamaram, no dérbi lisboeta disputado na Luz a 21 de abril." 

Aliás, esta é quase uma não notícia, porque ninguém estaria à espera que rolassem cabeças num caso que envolva o Sporting, enquanto vítima.

Para calar o natural burburinho, não só do Sporting mas também do outro candidato ao título, bem como para afastar os holofotes que poderiam incidir sobre o fulano, é perfeitamente natural que o árbitro fique em banho maria durante uma semana, mas o "castigo" perante um crime daquele índole é quase um prémio.

Natural também acaba por ser a nota atribuída, pois a equipa destacada para o Estádio da Luz era multi-funcional.
Esta gente não dorme em serviço.

Pouco natural será que o Sporting se acomode a mais esta facada nas costas, depois de já ter sido altamente prejudicado no jogo em questão.

Claro está que remar contra esta forte maré não trará qualquer resultado positivo, mas dado que se nos deixarmos levar por ela iremos parar no meio do Oceano, abandonados à nossa sorte, resta ir esbracejando enquanto houver forças para isso.