domingo, 5 de janeiro de 2014

Defeitos...quem os não tem?

O dia acordou com a notícia da morte de Eusébio.
Ou de Inzébio, como "carinhosamente" o tratei, durante as mais recentes e infelizes intervenções do Pantera.
Tristemente infelizes, pois Eusébio foi uma referência nacional, inclusivamente à margem do futebol, e poderia tê-lo sido também fora do campo, ganhando o respeito de todos os rivais.
No entanto, decidiu enveredar por um caminho que até a sua condição de embaixador da selecção o desaconselharia, ao proferir declarações pouco abonatórias para os sportinguistas.
Na hora do adeus, a maioria dos homens perde os seus defeitos e com a sua memória restam as virtudes.
No entanto, como os que cá ficam mantêm os defeitos, muitos irão prolongar os diferendos que ajudaram a apimentar as diferenças entre clubes.
Muitos mais irão esquecer hoje as mais recentes polémicas, para se juntar ao luto da família benfiquista.

Apesar dos fait-divers que marcaram estes últimos arrufos clubísticos, diria que Eusébio foi uma criança com um doce, se comparado com quem realmente tenta fazer mal ao Sporting.
Esses é que não merecem uma palavra de compaixão.

Por isso, não me caem os galões por endereçar os sentidos pêsames.

Fica a homenagem ao segundo melhor jogador português de todos os tempos, e que também jogou de verde-e-branco.