terça-feira, 29 de outubro de 2013

Esclarecimentos

Regra geral, gosto de ser original na escrita, e costumo valer-me dos meus meios para emitir opiniões sobre a actualidade leonina.
Contudo, nesta crónica vou ceder o espaço ao comunicado do Sporting, na íntegra, com o Porto-Sporting como pano de fundo.
Nem sequer merece muitos comentários, porque o longo comunicado transmite não só os acontecimentos como regista as respectivas conclusões.
Todos nós já ouvimos falar do ambiente terrorista que se sente naquele estádio, envolvendo os mais variados agentes desportivos, media ou adeptos.
São famosos os relatos de acontecimentos terceiro-mundistas nos balneários, túneis e, pelos vistos, extensivos à generalidade do estádio.
Já para não falar naquilo que toda a gente vê, dentro das quatro linhas.
Eu sei que este é um tema que, daqui por uns dias, cairá no esquecimento, como todos os que são tranversais ao futebol.
Quando o porto vistiar Alvalade não irá ter, com toda a certeza, o tratamento que merece, porque quem nasce civilizado tem muita dificuldade em descer a níveis subterrâneos.

Diz o comunicado:


Ontem teve lugar mais um jogo da primeira Liga. Infelizmente não vencemos pelo que, naturalmente, não podemos estar contentes.

Cometemos vários erros que acabaram por ditar a sorte do jogo.

No entanto, aquilo que deveria ser apenas um jogo de futebol infelizmente foi muito mais, com um conjunto de episódios extra espectáculo que em nada dignificam o Futebol e a sua promoção. Com efeito, são situações que continuam a ter a cobertura e anuência por parte de muitos que deveriam ser os primeiros interessados em denunciá-las e que não o fazem, situação com a qual nós não compactuamos e que queremos que sejam do conhecimento dos Sportinguistas:

- Vários Sportinguistas foram agredidos nas imediações do estádio do dragão. Ao invés do clube da casa repudiar totalmente estas atitudes, como esta Direcção já o fez em situações similares, começou a circular um rumor de que um grupo de Sportinguistas teria provocado desacatos, facto ainda não confirmado, que “justificaria” tais atitudes bárbaras e inqualificáveis. Até ao momento, ao serem vistas as imagens televisivas e fotográficas disponibilizadas, verificou tratar-se de um conjunto de pessoas onde as únicas que se conseguem identificar são do clube da casa;

- Antes do início do jogo tentaram impedir-nos de verificar a integridade das cadeiras (no nosso sector), permitindo que posteriormente eventuais estragos nos fossem indevidamente atribuídos;

- Até ao início do jogo foi passada a informação de que os elementos do Staff da nossa Equipa (Segurança, Assessor de Imprensa e Oficial de Ligação aos Adeptos) teriam lugar na bancada atrás do banco de suplentes da nossa Equipa. Ao invés, no início do jogo vedaram-lhes o acesso, colocando-os numa sala somente com cadeiras e sem televisão;
- Além da falta de condições da sala do Staff, os ARD's (Stewards) impediram-nos de sair e circular nas zonas autorizadas, contrariamente ao regulamentarmente definido;

- Na sala de treinadores retiraram tudo que lá estava (televisão e mesas) deixando apenas os cacifos e três cadeiras;

- Na entrada para o estádio deixaram, primeiramente, entrar pequenos grupos de adeptos do nosso Clube. Posteriormente retardaram a entrada dos restantes adeptos, fazendo com que muitos apenas tivessem acesso ao jogo já passados 30m do apito inicial;

- Autorizaram uma das nossas Claques a entrar com uma faixa para a bancada. Já dentro do estádio, sem nenhuma razão para tal suceder, os ARD´s procederam a sua remoção à força, provocando um tumulto que resultou em feridos ligeiros. A razão invocada para este acto descabido foi que a referida faixa continha a expressão “bimbolândia”, o que era falso. Quando os membros da claque abriam a faixa para mostrar o que realmente estava inscrito (o provérbio chinês "mete-os sobre tensão e cansai-os") esta foi selvaticamente retirada pelos ARD’s. Com efeito, toda esta atitude poderia resultar num acto deliberado para provocar os nossos adeptos e posteriormente os culpabilizarem;

- Em simultâneo, os ARD’s tiraram uma bandeira à Juve Leo, rasgando-a e entregando a mesma a uma claque da equipa adversária (Colectivo);

- Durante o aquecimento da nossa Equipa, as bolas que iam para a bancada desapareciam. Na primeira fila estavam quatro adeptos da equipa da casa devidamente instruídos para passarem as bolas entre si e depois passarem a um quinto elemento que na fila atrás roubava a bola, levando-a consigo. Isto tudo com total conivência dos ARD's que ali assistiam impávidos e serenos;

- Deixaram a manga de acesso do balneário ao relvado recolhida, à face das bancadas, facilitando agressões verbais e arremesso de objectos ao Presidente do Sporting Clube de Portugal, contrariamente ao acordado entre as Seguranças dos dois Clubes;

- Nas bancadas foram colocados vários cartazes (com acabamento gráfico profissional e por isso de acesso altamente questionável) exibidos por adeptos da equipa da casa, com frases provocatórias dirigidas ao Rui Patrício enquanto guarda-redes da Selecção Nacional. Sabendo-se que há proximamente um play-off importante para a nossa Selecção, esta atitude demonstra uma mesquinhez regional, não compatível com o Seculo XXI em que vivemos, e como tal um desrespeito por Portugal;

- O nosso Assessor de Imprensa foi impedido de permanecer na bancada de Imprensa, após lhe ter sido permitida a entrada e comunicado que ali poderia ficar durante o jogo;

- No final do jogo, junto à entrada da zona técnica, estiveram oito colaboradores da equipa da casa, que por várias vezes insultaram pessoas do nosso Staff, até à saída do autocarro;

- Jornalistas coagidos, nomeadamente dos três jornais desportivos foram empurrados por ARD’s. Um deles, só por ter questionado o porquê daquele inqualificável tratamento, foi de forma violenta imediatamente despojado da credencial do jogo e colocado na rua;

Há coisas na vida que nunca mudam, a nobreza de carácter é uma delas, ou se tem, ou não. Por mais “riqueza” que ostentem, os pobres de espírito sempre o serão. O complexo de inferioridade demonstrado por todas estas atitudes é totalmente incompatível com um clube que para além de títulos quer ser grande, pois a grandeza é muito mais do que o vencer. A grandeza é vencer, é saber vencer, é saber perder, é saber estar, algo que não está ao alcance de todos.

Não podemos deixar de louvar os mais de 3.000 Adeptos e Sócios do Sporting Clube de Portugal que estiveram ontem presentes no jogo, demonstrando claramente a nossa dimensão e que apesar de todo o esforço dos nossos adversários para nos desestabilizar continuamos unidos, nos bons e maus momentos, em torno do Clube que amamos, facto que muito nos orgulha e que nos motiva para diariamente fazer mais e melhor.

No próximo sábado em Alvalade, continuaremos o nosso trabalho de forma séria, cumprindo os objectivos que nos comprometemos, que é entrar em cada jogo para ganhar e honrar a camisola do Sporting Clube de Portugal.

Continuaremos a contar com todos os Sportinguistas para encherem o Estádio e apoiarem, como mais ninguém sabe fazer, a nossa equipa.

O Sporting Clube de Portugal,
Lisboa, 28 de Outubro de 2013