sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Respirar três vezes

Após um deprimente empate da selecção, é fácil disparar em todas as direcções.
Vou respirar três vezes...para acalmar.
pfffffffffff.....
pfffffffffff.....
pfffffffffff.....

Depois de inspirar profundamente, continuo a ver tudo do mesmo modo.
O jogo vem confirmar que Portugal não merece o apuramente directo para o Mundial, e que Rui Patrício será o autor material de um empate em que o autor moral se chama Paulo Bento.
Mais convencido fico ao ouvir a sua flash interview, onde diz que a primeira parte foi razoável.
Sinceramente, ia morrendo de tédio, e a minha vontade era mudar para o Canal Panda.
Felizmente não pude ver a 2ª parte, que PB considerou pior (como se isso fosse possível).
Eu sei que ao seleccionador não podem ser assacadas as más exibições de Nani ou Hugo Almeida, a baixa produtividade de Ronaldo, o erro de Patrício, ou a qualidade abaixo do razoável de jogadores como André Almeida mas, c'um diabo, é ele o responsável pela baixíssima intensidade de jogo, pela falta de ambição e, claro está, pela escolha de alguns destes jogadores que, certamente, não teriam lugar na fraca selecção israelita.
Se a escolha de Custódio para o banco de suplentes, para reter o inexistente ataque de Israel já era incompreensível, o que dizer da também condição de suplente não utilizado de Danny, um jogador sempre com uma rotação acima da média e uma autêntica gazua para as defesas adversárias.
André Martins também foi dos que conseguiu um lugar privilegiado para ver o jogo, mas o banco de suplentes já começa a ficar incómodo.
Todos nós estamos conscientes que a renovação da selecção é tão imperiosa como complicada, fruto do mau trabalho que se tem vindo a fazer na formação.
A prova disso é observável pelas contadas presenças em fases finais nos escalões inferiores, desde há muitos anos a esta parte.
Apesar da selecção ter um vincado cariz leonino, e ser previsível que em breve essa imagem possa ainda sair reforçada, estes resultados e exibições podem acabar por ser uma péssima propaganda para quem acena esses números com orgulho.
Agora, enquanto se espera pelo adversário do play-off, resta ouvir dizer,numa lamúria tipicamente sportinguista..."temos que continuar a trabalhar" ou..." há que levantar a cabeça".