sábado, 24 de agosto de 2013

Candeia que vai à frente...

Académica 0 Sporting 4
Segunda jornada do campeonato, segunda goleada e, aparentemente, manutenção da condição de líder.
Claro está que podemos pensar que defrontámos duas das equipas mais débeis do campeonato, mas também não deixa de ser verdade que na época passada não nos superiorizávamos a ninguém, fosse qual fosse a sua classificação, fosse qual fosse a sua qualidade.
Nessa última época que não deve ser esquecida, precisamente para evitar repetir erros grosseiros, a equipa só conseguiu os actuais 6 pontos quando chegámos à 6ª jornada.
Os 9 golos que temos actualmente, após duas jornadas, só foram alcançados na jornada 10.
Estes números comparativos são elucidativos relativamente ao arranque do campeonato, mas o que salta mais à evidência é a diferença qualitativa no futebol apresentado.
Se na passada época o futebol era enfadonho e de qualidade abaixo do exigível, o início da corrente época faz animar as hostes leoninas.
Um futebol alegre e dinâmico tem banalizado as equipas que nos defrontaram, mas demonstra outras características que também não encontram paralelo no passado recente.
A quantidade de ocasiões de golo criadas são fruto deste novo futebol positivo, em contraste com o vazio de ideias e de oportunidades com as quais tínhamos pesadelos e maus pressentimentos.  Penso que saltou à evidência a vontade que a equipa demonstrou, mesmo quando o resultado já estava desnivelado. Só se deram por satisfeitos e decidiram não arriscar quando se entrou no último quarto de hora.
Mas também realça a questão disciplinar, pois o ano passado liderámos a tabela de cartões amarelos e vermelhos, desde o início até ao final do campeonato.
Desta vez, talvez fruto de um melhor trabalho defensivo e das sempre importantes compensações, a equipa só foi admoestada com um amarelo, em 180 minutos de jogo.
Outra das evidências que, acredito, deviam dar que pensar, prende-se com a qualidade individual demonstrada por alguns dos atletas que...até há poucos meses atrás, eram alvo de críticas violentas por parte dos adeptos.
Tal como disse em tempos, alguns dos jogadores que transitaram da época em que atingimos a meia-final da Liga Europa não se tornaram maus jogadores, por um passe de mágica.
Eles, junto com algumas das aquisições, também foram vítimas de uma conjuntura negativa que grassou em Alvalade.
Agora, de novo, Adrien parece ter tomado Red Bull...André Martins está recauchutado, Rojo foi sujeito a uma plástica de corpo inteiro,  Cédric parece ter reaprendido a jogar futebol e Carrillo deixou de irritar o mais bucólico adepto.
Quanto a equipa joga bem, quando sabe o que faz em campo, quando cada uma das peças do xadrez estão no local certo, as deficiências individuais mirram a uma grande velocidade.
Além dos atrás referidos, outros parecem querer calar algumas críticas que surgiram no início da época, tão rápidas quanto uma ejaculação precoce.
Jefferson, Maurício, Montero e Wilson Eduardo estão a conseguir ganhar o seu espaço, com mérito, e o meu desejo é que todos eles, e quem esteja na rampa de lançamento, apresentem a mesma qualidade. 
De William Carvalho nem vou voltar a falar, para não me tornar enfadonho.

Claro está que o campeonato é ainda uma criança, e tudo o que se diga e escreva nesta data pode vir a ser triturado pela vertigem dos resultados.
No entanto, o futebol é isto mesmo...feito de pequenas alegrias ou tristezas semanais, que vão condicionando o estado de espírito dos adeptos e rivais.
Assim, é hora de desfrutar de mais esta pequena alegria, até termos que empreender nova batalha.


p.s. Parabéns também à equipa de andebol, depois da excelente vitória na Supertaça (SCP 33 Porto 32). Segundo troféu em poucos meses (depois da vitória na Taça de Portugal) pode dar um novo alento a esta secção que, contra todas as previsões, voltou a derrotar o grande dominador do andebol nacional nos últimos anos, e que parte como grande favorito para mais um campeonato.