terça-feira, 13 de agosto de 2013

Um olho no burro, e outro no cigano

Pedro Mendes, ex-central do Sporting, divulgou hoje na Gazzetta di Parma o motivo da sua saída do Sporting.

Recorde-se que, depois de fazer a sua formação em Alvalade, foi sucessivamente emprestado ao Real Massamá, ao Servette e ao Real Madrid. Uma sucessão de empréstimos em tudo similar a alguns jovens da Academia (Wilson Eduardo ou William Carvalho, por exemplo) que tardam mais no seu amadurecimento que outros jogadores, por esta não ser uma ciência exacta.

Pois bem, Pedro Mendes regressou na época 2012/13 para a equipa B, no que se julgava um retorno duradouro. Foi chamado por Jesualdo Ferreira para se treinar com o plantel principal, na sequência da restruturação empreendida pelo treinador, mas sensivelmente a meio da época deixou de figurar entre as opções do treinador. A sua despromoção deu-se após saber-se que se tinha comprometido com o Parma.

O Sporting, num processo tão límpido como lógico, optou por apostar e promover outros jovens da equipa B, em vez de continuar a martelar num prego torto.
De viva voz, Pedro Mendes revela que:

«Depois de regressar ao Sporting não fui inscrito na UEFA. Foi uma grande desilusão para mim, fez-me perceber que não apostavam em mim. Por isso, quando comuniquei que não iria renovar o contrato, colocaram-me na equipa B».

Ou seja, Pedro Mendes amuou por não ter sido inscrito na UEFA. Concluiu, sem aparentemente ter auscultado quem de direito, que não seria aposta de futuro.
Pela parte que me toca, fico satisfeito que tenha tirado conclusões precipitadas.
Com Pedro Mendes no plantel, o Sporting teria provavelmente que emprestar Dier, Ilori ou Rúben Semedo.
Podia criar-se outro antecendente, pois também estes poderiam ficar amuados, nomeadamente Dier...que também já esteve dois anos a título de empréstimo.
Pode ser o que se chama..."escrever direito por linhas tortas."

Entretanto, o representante de Bruma diz hoje que "Há vontade de chegar a um consenso com o Sporting".   

Poucos dias depois de virem dizer que, assim que saia a decisão do CAP, reunirão todos os interessados no jogador e escolherão a melhor proposta, vêm agora dizer que a porta está aberta.
Ou entreaberta, na sua óptica.
Uma vez mais, parecem não estar tão seguros numa decisão favorável, apesar de eu continuar a considerar improvável um desfecho que beneficie o Sporting.
Esta vontade agora demonstrada...demonstra que os responsáveis pelo jovem irresponsável mantêm um olho no burro...e outro no cigano.
É que quando se dão saltos muito altos, convém ter uma rede que ampare uma possível queda. 

Por uma vez, demonstram ter alguma coisa a ocupar o interior do crânio.