segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Jogo a jogo

Guimarães 0 Sporting (B)2

Apesar da vitória, a Taça da Carica continua a ter o mesmo valor inicial.
Claro está que, tal como tinha referido na abordagem ao jogo, todos nós pretendemos que a equipa vença…SEMPRE.

Não sei se a vitória foi justa mas, quando nos acontece ter um grande caudal de jogo e a equipa adversária vence jogando apenas no nosso erro, os comentadores costumam dizer que merece vencer quem marca mais.
Deve ser este o caso.
Sendo pragmático, foi um jogo fraquito com bastante entrega e pouca qualidade, mas prefiro que se tenha vencido assim do que se tivéssemos perdido efectuando uma notável exibição.
A equipa B mostrou que lhe falta muito para jogar a outra rotação. Apesar de ter jogado contra uma boa equipa e bem orientada, a facilidade com que se perdeu a posse de bola, a má abordagem aos lances e a perda de quase todas as bolas divididas redundou num jogo quase de sentido único.
De qualquer modo, parece-me que se tiraram boas ilações sobre algumas das contratações e reforços de Inverno de BdC (como gostam de lhes chamar).
Pela positiva nitidamente Geraldes, talvez a grande surpresa, mesmo que tenha perdido uns quantos sprints com Hernâni. O nosso lateral pode ter demonstrado que não é um velocista, mas conseguiu compensar essas pequenas derrotas com bom sentido posicional e excelente intensidade nas acções defensivas. Para quem esteve parado tanto tempo, é obra.
Tobias foi outro dos que marcou pontos, mesmo que eu já esteja habituado a vê-lo alternar jogos como os de hoje com outros onde entrega o ouro ao bandido.
Quero destacar também Boeck. Não que tenha tido muito trabalho, mas depois de ter sido infeliz no último jogo voltou à sua regularidade quando é chamado a jogo.
Gauld também deixou pormenores muito interessantes. Acredito que inserido numa equipa com mais bola a sua acção poderá adoçar ainda mais o nosso apetite.
Wallyson foi outro que mostrou detalhes interessantes mas, precisa ainda de ganhar outro andamento.

Quem me desiludiu, mesmo não tendo feito um mau jogo, foi Rosell. Apesar de algumas recuperações foi sempre demasiado macio para a zona do terreno onde opera. Mostrou (digo eu) porque William, mesmo a meio gás, continua de pedra e cal na equipa.
Tanaka foi outro dos que não acrescentou nada, apesar do livre que podia ter matado o jogo uns minutos mais cedo.
Heldon marcou o primeiro golo e praticamente desapareceu do jogo, apenas aparecendo na manobra defensiva, mas fica na retina a sua celebração gritando a plenos pulmões “SPORTING SOMOS NÓS CAR@£%%0”

A grande desilusão foi (mas só para quem nunca o tinha visto jogar) obviamente Slavchev. Desde o primeiro minuto de jogo viu-se que estava algumas rotações abaixo de todos os outros 21 jogadores. Compreende-se porque tem dificuldade em jogar até na equipa B.
Quanto a Sarr, devo dizer que tenho tanta confiança nas abordagens aos lances como que me vai sair o euromilhões na próxima 5ª feira.
Cada vez que a bola cai na sua zona de acção um grande calafrio percorre-me a espinha.



Mas não foi só nas quatro linhas que recaía a atenção dos adeptos e, principalmente, dos media.
As imagens ofereceram-nos grandes planos do sósia de BdC nos mais diversos ângulos, e o actor vestiu a pele de presidente radiante.
Presumo que seja o seu duplo, dado que foi amplamente noticiado que o presidente do Sporting não tinha viajado com a equipa para Guimarães.
Já o treinador pareceu mostrar, no final, que não está para grandes exteriorizações.
Pelo que sei Marco Silva viajou com a equipa, daí presumir que, neste caso não tenha sido necessário recorrer a um sósia.

Olhando agora para o futuro, e dado que BdC só nos assegurou que Marco Silva iria para o banco em Guimarães, ficarei à espera para saber se o treinador se irá sentar no banco no próximo jogo.
Se assim for, este ano voltaremos ao lema da época passada:

“jogo a jogo”.