segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Qualquer semelhança é mera coincidência

Vamos por partes.

Facto 1-
O Sporting não é candidato ao título.
Depois do empate de ontem, associado à vitória de Carnide no Estádio do Ladrão, podemos arrumar a máquina calculadora sem esquecer de lhe tirar as pilhas, para não oxidarem.
A equipa leonina voltou a desiludir, e não devemos iludir-nos com a habitual ladainha do “enquanto for matematicamente possível…”.
Deixou de ser possível.

Facto 2-
Disse-o em momento oportuno. Apesar de não me ter manifestado na altura, não considerei adequada a nossa candidatura ao título. Mesmo tendo acrescentado mais um ano ao já longo jejum, a verdade é que a época passada foi considerada uma surpresa pelos motivos que todos conhecemos. Com um orçamento manifestamente inferior, fomos capazes de ombrear com os nossos eternos rivais durante largos períodos da época, e afastou-se de jogadores e adeptos o estigma de objectivos demasiado exigentes com o lema “jogo a jogo”.
No entanto, não me choca que Bruno de Carvalho o tenha feito.
A realidade é esta. O Sporting é, por tradição, candidato ao título, assumidamente ou não.
Os seus adeptos, os media ou os atletas assumem, per si (sem o incentivo do presidente) que quem joga com o leão ao peito só pode ter esse repto, esse alvo em mente.

Facto 3-
O Sporting venceu 2 campeonatos nos últimos 33 anos.
Se quiserem, venceu 4 nos últimos 41 anos.
Neste período, não tenho visto tanta gente, como agora, insurgir-se contra a assunção da candidatura ao título, quando a travessia deste imenso deserto foi sempre marcada por assumir esse estatuto, por tradição.
Quando ainda eramos um projecto de clube, José Alvalade proferiu a frase ‘Queremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande como os maiores da Europa’.
Este status natural continuará a acompanhar-nos, até prova em contrário.

Facto 4-
Ainda não vi a estrutura leonina assumir a candidatura a vencer a Liga Europa, mas já vi muitos adeptos apontar a final de Varsóvia quase como destino obrigatório.
Provavelmente os mesmos que criticam que nos tenhamos assumido candidatos ao título colocam-nos no mesmo patamar de equipas como a Roma, do Inter, do Nápoles ou do Liverpool.
Nesse sentido, posso adiantar que o Sporting nunca venceu a competição e que, por mero exercício de lógica ou, se quiserem, de orçamento, não estaremos no lote dos favoritos.

Facto 5-
O Sporting, mesmo vendo fugir o campeonato um ano mais, tem objectivos bem mais ambiciosos que na época passada por esta altura da época.
A equipa irá disputar os 1/8 final da Taça de Portugal e, se não houver surpresas, marcará presença nos 1/4 final.
Convém recordar que o Sporting não vence esta competição desde a época 2007/08, data do último troféu com algum significado.
O Sporting jogará também a fase de grupos da Taça da Liga e, mesmo que a estrutura manifeste publicamente o seu desinteresse pela competição, acredito que a equipa entrará para tentar vencer.
Além disso, estamos nos 1/16 final da Europa League, competição que poderá render mais alguns milhares de euros, de prestígio e de pontos para o ranking da UEFA.
Por fim, a equipa está (apenas) a 4 pontos do 2º lugar e da entrada directa na Champions, talvez o grande objectivo para a presente época.
Sabemos da importância que tem esta competição, e da propalada aliança para nos afastar dos milhões que podem ajudar a fintar o destino que nos querem reservar.

Facto 6-
Já li alguns escritos que tentam comparar a presente época com a maldita campanha de 2012/13.
Semelhanças e diferenças.

Semelhanças: O Sporting já disse adeus ao título antes do Natal.
Benfica e porto ocupam os dois primeiros lugares.

Diferenças: Há duas épocas atrás, o Sporting não jogava um chavelho, estava a 1 ponto da zona de despromoção, tinha apenas vencido dois jogos, tinha um saldo de golos negativo (-5) e estava a 23 pontos da liderança.
Na presente época, a equipa joga melhor futebol que o líder, está em zona europeia e a 4 pontos da Champions, perdeu apenas um jogo, tem um saldo positivo de golos de (+13) e está a 10 pontos do líder.

Conclusão-
A segunda época do futebol com responsabilidade desta direcção está a deixar-nos com péssimo sabor na boca, mesmo que ainda não tenhamos chegado ao Natal.
Compará-la nesta altura parece-me algo precipitado, mas se quisermos podemos lançar outros números.
O Sporting nunca foi campeão com BdC, mas também não o foi com Godinho, com JEB e com Soares Franco. Nestes 13 longos anos apenas sorrimos com os 2ºs lugares de S.Franco mas a norma foram 3ºs e 4ºs lugares.
Fomos uma vez campeões com Roquete e D.Cunha, mas esses oásis apenas camuflaram outras épocas sofríveis, com 3ºs e 4ºs lugares.
Terceiros e quartos foram a nossa sina desde A.Freitas a S.Cintra. Quase uma década onde só conseguimos um 2º lugar.
Até o consensual J.Rocha, com três títulos nos seus 13 anos de presidência, teve uma época em que terminámos em 5º lugar e, pela primeira vez na nossa história ficámos fora das competições europeias.

Eu também estou aziado com o campeonato.
Podemos e dever-nos interrogar-nos, até criticar, porque temos essa capacidade e autoridade, mas não é necessário precipitar-nos nas comparações.
Estamos em Dezembro.