quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Mais uma "nega"

Após mais um atribulado fim-de-semana futebolístico, quais foram as notas atribuídas pela comunicação social aos árbitros da nossa praça?
É curioso constatar que, apesar da conhecida e indisfarçável clubite de alguns dos pasquins, os três piores árbitros, com importante responsabilidade no resultado final, foram os dos três primeiros classificados.

Golo em fora-de-jogo em Coimbra, penáltis surripiados e cartões por mostrar no Porto, penalti inexistente e golo mal invalidado em Guimarães, tudo em prejuízo dos desvalidos.
No meu modesto entender as notas atribuídas estão altamente sobrevalorizadas, pois não é compreensível que a lamentável actuação de Olegário no Porto possa receber uma nota superior ao mínimo permitido.
No patamar imediatamente acima estaria o de Guimarães, também ele a prestar um péssimo serviço à arbitragem e à verdade desportiva.
Com mais um pontinho estaria o de Coimbra, apesar do grave erro que lesou os de Coimbra.

Curioso é constatar que, nas classificações atribuídas, o árbitro do Sporting-Setúbal surge não muito longe dos referidos anteriormente.
Inclusivamente, o CM tem o desplante de atribuir a mesma nota ao sujeito que atropelou o Rio Ave, em pleno Estádio do Ladrão.

No entender do autor dessa nota, duas grandes penalidades surripiadas ao Rio Ave na segunda parte, quando o resultado ainda só estava em 1-0, equivalem a dois toques de William na marcação de um livre a 70 metros da baliza.

Sim, parece-me perfeitamente adequada a comparação.

Atribuir nota negativa a A.Soares Dias, na súmula das quatro publicações, é mais uma tentativa de branquear, desvirtuar, camuflar o que de muito mau aconteceu nos outros três campos.
Eu sei quem devia chumbar por excesso de negas!!

Enquanto isso, Vasco Santos, Hugo Miguel ou Marco Ferreira tiveram notas e actuações positivas em jogos de menor mediatismo.
Claro, têm que se esmerar porque nunca se sabe quando terão que apanhar outra vez os grandes, que lhes dão cabo da média.