segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Cubo trágico

Quando tanto se fala do definhar da formação leonina, a concorrência é apontada como percorrendo o percurso inverso.
Disso faz hoje capa o Rascoff, e o jornal quase que teve que lançar uma 2ª edição de modo a conseguir que a palavra “REVOLUÇÃO” coubesse na tiragem desta segunda-feira.
Parece que vão construir mais 3 campos…e mais quartos para os miúdos, mas é o “Cubo mágico” que parece vir revolucionar o treino.
Desengane-se quem pensa que tem qualquer parentesco com o Cubo de Rubik.
Não. A máquina, baptizada como 360S, é um simulador que visa aperfeiçoar a velocidade de reacção e a precisão de passe.

Eu confesso que o único modo que arranjei para solucionar o cubo mágico de Rubik foi desmontar o quebra-cabeças e voltar a montar, com as cores nos sítios certos. Outro modo, bem mais prático, passava por descolar os quadrados de cores, e voltar a colar…em tempo recorde.
É verdade que andei lá perto, já só me faltavam os cantos, mas soçobrei à pressão do sucesso a qualquer preço.

Por isso, acredito que se este cubo mágico da ETAR não der resultados a curto prazo, é possível que também inovem com o Cubo trágico.
Um simulador que vise aperfeiçoar a velocidade de reacção dos árbitros, e a precisão com que influenciam os jogos.
Eu sei que é isso que já acontece actualmente, mas aquela malta pode precisar das novas tecnologias, como tanto tem sido apregoado, para melhorar o seu rendimento.

Se o dinheiro com que foram regularizados os seus honorários saíram eventualmente dos seus bolsos, não haverá mal em querer que aquela malta veja o seu rendimento recauchutado.