quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Elemento neutro


Ao pensar no cenário que o Sporting terá de enfrentar, na tentativa de apuramento para os 1/8 de final da Champions, sou levado a recordar-me de idêntico panorama que o benfica dispôs, na edição 2012/13 desta prova.

O Sporting desloca-se a Londres onde terá que empatar, como pior das hipóteses, para não ter de depender do resultado entre Maribor e Schalke.
Não se afigura nada fácil, mesmo que a equipa de Mourinho dê tréguas a alguns dos seus mais influentes jogadores.
É que as segundas linhas dos blues seriam titulares indiscutíveis no Sporting ou em qualquer outra equipa de topo em Portugal.
Deste modo, o jogo em Inglaterra terá sempre grau de dificuldade máximo a não ser que, como fez o Barcelona há dois anos atrás quando recebeu a equipa de Jesus, Mourinho se lembre de atirar às feras alguns jovens da equipa B, misturados com os habituais suplentes.
Sinceramente não acredito que o treinador português seja tão audaz quanto foi Tito Vilanova, mesmo com a equipa já qualificada, à imagem do referido Barça.
A verdade é que o benfica de então viu ser-lhe estendida uma passadeira vermelha que, recorde-se, nem assim conseguiu aproveitar.
Aliás, no seu habitual estilo de vendedor de banha da cobra ou de enganar tolos com papas e bolos, Jesus veio dizer que, apesar do empate que os afastou da Champions, nunca ninguém fez o que a sua equipa foi capaz de fazer em Camp Nou.
Ah, não estavam Valdés, Dani Alves, Piqué, Mascherano, Busquets, Xavi, Iniesta, Messi, Pedrito, Fábregas ou Alexis Sanchez?
Para Jesus isso pouco pareceu interessar de modo a camuflar a eliminação precoce perante as camisolas do Barça.
Para piorar o cenário, no outro jogo o Celtic conseguiu perto do final o único resultado que não interessava aos encarnados, e atirou-os para a Liga Europa.

Quando visitarmos Stamford Bridge não teremos, quase garantidamente, metade das facilidades que os catalães propiciaram à lampionagem.  Além disso, o Maribor necessita vencer o Schalke para tentar aceder à Liga Europa, o que poderá escancarar a sua defesa e facilitar a tarefa dos alemães, e uma vitória destes poderá deitar por terra as nossas esperanças.
Claro está que as contas fazem-se no fim, mas espero não ter que maldizer…para a eternidade, todas as coincidências que marcaram negativa e atribuladamente a fase de grupos do Sporting.
É que aquele penálti de Gelsenkirchen poderá mesmo vir a ser o elemento neutro na nossa tentativa de multiplicação de pontos e euros.