terça-feira, 25 de novembro de 2014

Fenómenos para-anormais

Já todos sabemos que o futebol português é palco de frequentes fenómenos paranormais…ou para-anormais, consoante a perspectiva.
Assistimos, com cada vez maior assiduidade, a ocorrências que deixam até os mais cépticos algo apreensivos.

Quem nunca assistiu a Maxi Pereira possuído?
A verdade é que nunca foi exorcizado, e por isso continua a aterrorizar os campos por onde passa.
E aparições?
Penáltis-fantasma, expulsões-fantasma, foras-de-jogo-fantasma, são só algumas das que surgem do nada e nos atormentam o fim-de-semana.
E reencarnações?
Em quantos corpos de árbitros terá entrado a alma de Inocêncio Calabote, por forma a vaguear por esses campos fora?
E fenómenos tipo Poltergeist?
Quem nunca observou ocorrências como a da rega automática que começa a funcionar sem explicação, luzes que se apagam ou agressões em túneis praticadas por gente vinda do além.
É verdade, os fenómenos para-anormais são fenómenos crescentes e parece não haver quem os consiga expurgar.

Mas há outro tipo de assombrações para as quais não se encontra explicação.
Uma das mais famosas foi aquela em que Enzo Perez, que nunca teve nenhuma aparição como melhor jogador do mês, pairou sobre as nossas cabeças com o troféu de jogador do ano.
William Carvalho é que ficou com a alma penada.
Daria para rir, se esse espectro não fosse tão assustador.
Mas a II Liga também parece estar condenada ao esoterismo.
É que Gonçalo Guedes, jovem do benfica b, venceu na passada semana a votação do Sindicato de Jogadores para melhor jogador de Outubro na II Liga, à frente de Tozé Marreco, do Tondela.
Acredito que, ao ler a notícia, qualquer pessoa sinta a marreca a crescer ao ritmo de uma borbulha de adolescente.
Sim, porque desta vez parece ser Enzo Perez a tentar encarnar em Guedes, o que já começa a ser preocupante…tenhamos ou não uma proeminente marreca.
É que o avançado da equipa secundária dos “encarnados” só disputou dois jogos completos, não marcou qualquer golo e a sua equipa só venceu um desses 4 jogos onde participou.

Eu não sei se precisamos dos Ghostbusters…ou de um exorcista, mas desconfio que vai ser muito complicado livrar-nos da bicheza.