sábado, 28 de janeiro de 2012

O tractor


Nesta época quase irremediavelmente perdida, muitas...demasiadas foram as condicionantes que nos colocaram numa posição que tem tanto de ingrata como de anormal, face ao investimento e qualidade do plantel. Nunca saberemos o que teria acontecido se o início da época não tivesse sido marcado por arbitragens que inclinaram os campos dos três históricos candidatos ao título, em inversa proporcionalidade. Não foram só os pontos espoliados ao Sporting, porque o trabalho cedo foi feito para elevar os índices a quem se arrastava em campo e tentar afundar quem melhor futebol praticava. Basta procurar as crónicas dos primeiros jogos da época e fazer contas, ou pedir ao Eng. Guterres para as fazer.
Não bastava esta contingência, já de si tão pesada e com evidente efeitos nefastos na classificação, quando a mala-pata decidiu entrar em acção. Não me ocorre nenhum jogo nesta época onde tivéssemos o plantel todo disponível, e quando o comboio circulava em velocidade de cruzeiro e encarrilado, mesmo com algumas ausências pontuais, uma autêntica praga se abateu sobre os nossos jogadores. Têm caído que nem moscas, com uma cadência assustadora.   
A lesão de Rinaudo, longa e nas vésperas de um ciclo (com)prometedor, cedo revelou uma dependência que teria consequências devastadoras. O futebol leonino nunca recuperou da sua ausência, e raros foram os titulares que não passaram pelo departamento médico, para compor o pesadelo.
Não se fazem omeletes sem ovos, e os que nos restaram, eram de codorniz.
Os regressos dos lesionados têm sido a conta-gotas...muitos deles quase a fazer a pré-época, mas rapidamente outros vão ocupar a marquesa que vagou, e assim tem sido muito complicado para Domingos gerir e trabalhar a contento de todos.
Hoje, a notícia  que tanto ansiámos e que tanto tardava, finalmente chegou. Rinaudo (e Izmailov) voltaram a treinar-se com o grupo, e deste modo ilumina-se um pouco o horizonte, com uns raios de sol a clarear estes meses de obscurantismo.
Ainda estaremos a algum tempo do regresso em pleno, mas já são indicadores positivos, apesar de acreditar que em mais este ciclo decisivo para as curtas aspirações de minimizar os danos da época, ainda teremos a equipa ao pé-coxinho. 
Seja como for, o nosso tractor está de volta!!