segunda-feira, 5 de março de 2012

Polga e mais 10


Os adeptos do Real Madrid são do mais impaciente que conheço. Então não é que o Ricardo Carvalho deu umas abébias e, os inquietos adeptos merengues, começam logo a mandar vir com o jogador?! Pior ainda, o treinador madridista, talvez pouco experiente e sujeito a pressões, trata de o retirar ao intervalo. Este Mourinho é mesmo muito pouco tolerante.

A notícia do sucedido reza o seguinte.


"O central português Ricardo Carvalho foi este domingo assobiado, várias vezes, pelos adeptos do Real Madrid durante a primeira parte do jogo com Espanyol, relativo à 25.ª jornada da liga espanhola e que os madrilenos ganharam por 5-0.
Face aos apupos, o treinador dos merengues, José Mourinho, decidiu retirar Ricardo Carvalho ao intervalo para fazer entrar o francês Varane.
Afastado da titularidade há mais dois meses - a última partida em que entrara no onze inicial, fazendo dupla com Pepe, foi com o Saragoça, no Santiago Bernabéu, a 28 de janeiro, que terminou com a vitória dos madrilenos por 3-1 - Ricardo Carvalho protagonizou algumas intervenções menos felizes que motivaram o descontentamento de alguns sectores do público.
Esse descontentamento foi ao rubro quando, tendo já sido admoestado pelo árbitro com um cartão amarelo, teve uma entrada sobre o brasileiro Philippe Coutinho passível de ver o segundo e ser expulso, o que motivou um clima de embirração ao central português, cada vez que este tocava na bola."

Já pensaram o que aconteceria se, os diversos treinadores que passaram pelo Sporting nos últimos 3 ou 4 anos, tivessem cedido aos anseios e temores da plateia, relativamente a Polga? Pois, até são capazes de imaginar, mas o nosso capitão, e um dos mais antigos do plantel, teima em testar o masoquismo do treinador e o coração dos sofredores adeptos. O curioso é que quem acaba por sair, e não é ao intervalo, acabam por ser os treinadores, enquanto Polga resiste a tudo e todos. Várias são as teorias relativamente à tara dos treinadores, ou a algum domínio que o brasileiro detenha sobre os seus superiores hierárquicos mas, não quero estar a lançar suspeições, nem sequer ser acusado de desestabilizar a equipa em vésperas de um jogo tão importante.