terça-feira, 13 de março de 2012

Sair de Manchester com o TomTom


De Espanha, dizem, nem bons ventos nem bons casamentos.
Da Noruega, dizem, bom bacalhau mas, mau árbitro.
Não quero generalizar mas, ao recordar a actuação de Tom Henning Øvrebø no Chelsea-Barcelona da edição 2008/09 da Liga dos Campeões, vem-me à memória uma das arbitragens europeias mais desastradas que me recordo.
O acaso vai levar a Inglaterra outro árbitro norueguês, também chamado Tom mas, em lugar de Henning, este foi baptizado de Harald.
O careca, de boa memória para os espanhóis, é psicólogo, mas quem ficou a precisar de psiquiatra foram os ingleses.
Famosa ficou a autêntica tourada que se assistiu nesse jogo, com o touro Ballack a correr, desenfreado, nos instantes finais da partida, atrás de um  Tomreiro parco de vista, face aos vários penalties que ficaram por marcar, mas também um pouco surdo, dado que Ballack berrou nas suas orelhas, sem aparente reacção. Valeu uma finta...de cernelha, para o despistar.
Tom Harald Hagen, árbitro de 33 anos que dirige pela primeira vez uma equipa portuguesa, é professor mas, não vamos querer chumbar neste importante teste.
Veremos que faena  nos está reservada, sendo que já me dava por satisfeito que, com tanta coincidência, também o empate desse jogo de Londres se repetisse.