quarta-feira, 19 de junho de 2013

Faz o que eu digo, não faças o que eu faço

O defesa central Pedro Mendes, que trocou o Sporting pelo Parma, concedeu uma entrevista ao jornal O Jogo, onde tece algumas considerações acerca da sua saída, bem como dos mediáticos casos de Bruma e Ilori.

O jogador, que decidiu assinar pelos italianos em Fevereiro, precisamente quanto tinha ganho a titularidade na equipa principal, foi à causa disso naturalmente relegado para a equipa B.
Pedro Mendes mostrou-se desapontado pelo facto, mas revela que acabou por «entender que seria mais lógico Ilori jogar».
No entanto, o jogador defende-se, dizendo que deu «tempo de sobra» ao Sporting para avançar para a renovação.

Diz também acreditar que «o futuro está assegurado», pois vê Eric Dier como «um diamante em bruto».
Neste aspecto concordo com o ex-defesa leonino, e diria até que...há males que vêm por bem.

Já relativamente à questão de Bruma, Pedro Mendes aconselha o jogador (e também Tiago Ilori) a «esquecerem as promessas dos empresários, porque nem sempre ir ganhar mais é melhor».

Além disso, acredita que esta direção se está a «portar bem, a tentar valorizar ativos que rendam milhões».

Apesar de desconhecer o que ocasionou o corte entre Sporting e jogador, mesmo colocando a hipótese de, uma vez mais, a anterior direcção ter sido incompetente na gestão desta renovação, é caso para dizer do jogador:

Faz o que eu digo, não faças o que eu faço.
Não sei houve falta de diálogo ou se, simplesmente, o empresário e/ou o próprio Pedro Mendes estavam com demasiada pressa para a transferência, mas os conselhos do jovem revelam um bom-senso que, no entanto, não parece ter podido aplicar-se ao seu caso.