sexta-feira, 14 de junho de 2013

Parasita

FC Porto contrata em Alvalade


Este é o chamariz de uma das publicações a que tive acesso, na incessante procura por notícias relativas ao Sporting.
A curiosidade aperta, e leio atentamente o conteúdo:

Dragões e leões estão de relações cortadas, mas Ricardo Tavares assinou ontem com os azuis e brancos para as próximas quatro temporadas. Reforço a custo zero.
Nem foi preciso diálogo entre clubes. Ricardo Tavares, que chegou a ser capitão dos iniciados em Alvalade, vai ser jogador do FC Porto a partir de 2013/14, tendo assinado ontem contrato com os dragões.
O central esquerdino de 18 anos terminou a sua ligação ao Sporting e já tem clube, preparando-se para reforçar os sub-19 portistas. Utilizado pela equipa B dos leões na época que findou, o jogador natural de São João da Madeira é aposta da SAD portista e o primeiro jogador a mudar-se de Alcochete para o Olival desde que Bruno de Carvalho anunciou o corte de relações com o FC Porto.

Mas, quem é este Ricardo Tavares?
Para quem, como eu, não pode seguir de perto todo e qualquer um que vista de verde-e-branco, não lhe resta outra alternativa senão fazer uma pesquisa criteriosa.
Pois bem, fico a saber que este central representou o Sporting durante 6 épocas, desde os sub13, que mede 1,77 e que na época passada se dividiu entre a equipa júnior e a equipa B.
A notícia salienta que o jogador chegou a ser capitão da equipa de iniciados, e este facto veio abalar ainda mais a minha auto-estima.
Durante uns minutos voltou o pesadelo do Maçã Podre. Não bastava terem-nos levado o capitão da equipa profissional, como voltam à carga e levam-nos o ex-capitão dos iniciados.
Temos sorte que o Capitão Gancho não seja do Sporting, ou também nos arriscávamos a ficar sem ele.
Acabei por ter de tomar um Prozac para poder sorrir perante tanta desgraça.

O facto de saber que o jogador, afinal, tinha sido dispensado, amainou um pouco a minha revolta, e fiquei a pensar que, o mais certo, é o Porto ter contratado o jogador no Centro Comercial de Alvalade.
O historial da última época pode explicar a dispensa, alicerçada nos 14 jogos disputados entre os juniores e a equipa B.

Devo confessar que, desde há dias, andava com a pulga atrás da orelha, porque tive oportunidade de verificar que na blogosfera azul e branca corre a notícia, oriunda de fonte fidedigna, de que vai explodir uma bomba em Alvalade, como retaliação pelo corte de relações da direcção leonina.
Afinal este foi um falso alarme, e esta só pode ser considerada como uma bombinha de carnaval.

O que interessará, aos que gostam de colocar o rótulo de ex-Sporting, é que este jogador irá engrossar o rol de jogadores com passado de leão ao peito que ingressam no Dragão, mesmo que neste se incluam jogadores como o recém contratado Tiago Rodrigues, que “passou férias” nos sub17 do Sporting durante uma época.
É verdade que o trabalho de triagem, nos escalões de formação, tem um grau de fiabilidade…pouco fiável…e podem acontecer muitos erros de apreciação.
O caso de Ricardo, que também trocou Guimarães pelo Porto poderá ser mais um, mas para isso se confirmar o jovem jogador terá ainda muito por provar.
Miguel, lateral-direito que jogou no Benfica e no Valência, foi outro dos que abandonaram Alvalade ainda em plena formação, mas em sentido contrário tivemos Miguel Veloso, entre tantos outros exemplos de que esta não é uma ciência exacta.

Ainda há não muito tempo, o Sporting foi muito criticado por ter usado Diogo Viana, uma das grandes esperanças da Academia, como moeda de troca no negócio Postiga e, afinal, o extremo acabou por dar não um...mas dois ou três passos atrás, porque num clube com ADN sul-americano é difícil um jogador mediano impor-se.

Claro está que poderemos ver esta contratação de Ricardo Tavares como revanchista...ou, na melhor das hipóteses, parasita.
Também faz parte do ADN.
Dado que o Porto praticamente não consegue formar jogadores que cheguem ao plantel profissional, vira-se para o produto D.O.P. (denominação de origem protegida) certificado em Alcochete.