quinta-feira, 13 de junho de 2013

Leilão

Todos os dias temos podido assistir, através das páginas dos jornais, a um autêntico leilão dos jogadores do Sporting.
Apesar de sabermos das restrições orçamentais e dos tectos salariais impostos, que provavelmente irão escancarar a porta de saída a alguns dos activos leoninos, o certo é que o interesse dos jornais em também promover a venda dos nossos jogadores não tem correspondido às expectativas.
Julgo não termos passado nenhuma procuração à comunicação social para as vendas, mas estes continuam empenhados em fazer-nos a vontade.
Apesar da sofreguidão dos interessados, a verdade é que os compradores parecem envergonhados. 


Se Bruma e Ilori estão em banho-maria, o certo é que já pudemos ler as maiores divergências relativamente às valores das suas hipotéticas transacções.
Há dias, saiu também uma lista dos dispensáveis do plantel, e só faltava a etiqueta com o preço, apesar dos valores terem virem referenciados.
Hoje, basta passar os olhos pelos jornais para ficar a saber que Miguel Lopes só sai por 3 milhões, que Rojo poderá ir para o Inter por 5 milhões, e que o Sporting pediu 12 por Capel mas já vai nos 7.
-Quem dá maaaaaaaaaaaaaaiiisss!!!???-dirá o Sporting.
-Quem dá meeeeeeeeeeeeeenoos!!!???-parecem dizer os jornais.

Nem sequer vou comentar os valores, porque isso era estar a ir na cantilena dos jornaleiros...ou dos empresários, que utilizam as páginas dos jornais para promover o leilão.
Acredito que os responsáveis leoninos estão a fazer o seu trabalho, assim como irão defender os interesses do Sporting, e vou confiar nas palavras de Augusto Inácio.

“Não vamos vender nada a preço de saldo. Tirem o cavalinho da chuva”.

Apesar do aperto financeiro e de valorização dos atletas colocarem-nos em patamares bem distintos, estas palavras reportam-me para uma entrevista de Richard Moar, director-desportivo do Corunha, onde este analisa a intransigência de Pinto da Costa nas negociações.
 
"Pinto da Costa tornou-se uma lenda a partir do excecional olho para as contratações e uma mão de ferro para os negócios".

É uma lêndea viva, diria eu. 
Também revelou que passou duas noites na casa do presidente portista a negociar uma transferência que nunca se concretizou. 

"É muito duro a negociar. Se a oferta inicial não chega aos 85% do que ele pretende nem sequer nos recebe. É ele que marca os tempos, para além de conhecer sempre bem o comprador".

É interessante saber que tanta gente pernoita na casa do presidente portista. 
Além disso, já tivemos imensos relatos dessa casa como sendo o centro do Universo. Desde diversas passagens do romance de Carolina, passando pelo árbitro Augusto...Duarte e C&a, dirigentes e empresários da bola, é curioso verificar como uma casa pode estar tão bem localizada.
Já o Sporting reúne-se numa esplanada, como foi possível verificar pelas fotografias onde apareciam BdC e Inácio. De acordo com o jornal que as publicou, esse encontro visava preparar a próxima época.
O presidente do Sporting deve ter uma casa com uma péssima localização, e a exposição solar não deve ser a melhor.