terça-feira, 11 de junho de 2013

Um é bom, dois é desaconselhado

O jornal Record aventa a possibilidade, na capa da edição do dia, de Pizzi poder ser emprestado ao Sporting pelo Atlético de Madrid, depois desta época ter estado cedido ao Deportivo da Corunha.
A publicação revela que o Atlético está disponível a emprestar o jogador, mas desconheço se o Sporting está interessado nessa possibilidade.
O jovem extremo, ainda em fase de maturação, foi um dos esteios da equipa galega que, recorde-se, foi uma das relegadas para a 2ª divisão espanhola.
Por norma não sou dado a comentar boatos, com a agravante deste não ter praticamente base de sustentação, mas são tantas as notícias vindas da Corunha que hoje vou ceder à tentação.
A primeira evidência de que o Sporting pode ter como alvo preferencial o penúltimo classificado da La Liga, foram as notícias da inclusão garantida de Salomão e André Santos no plantel 2013/14.
Não me quero alongar muito em apreciações individuais, até porque não segui atentamente o pobre futebol do fundo da tabela espanhola, mas não deixei de prestar atenção à longa letargia do médio centro oriundo da Academia, que decidiu prolongar em Espanha a sua condição de não-utilizado.
Se na temporada 2011/12 teve direito a 2 jogos na condição de titular em jogos para o Campeonato com a nossa camisola,esta época que agora finda entrou de início por 4 vezes.
Pode dar-se o caso do treinador não engraçar com o seu sorriso mas acontece que, para lá de Domingos em ambos os clubes, também Sá Pinto e dois espanhóis deixaram André Santos cair no esquecimento.
Foi muita gente a pensar o mesmo.
Já o que foi apelidado de diamante, extraído provavelmente das minas de Salomão, também tarda em impor-se, apesar de alguns anteverem a sua explosão, para breve.
Se isso acontecesse, seria bom se nos explodisse nas mãos, mas o pior será se a pólvora estiver seca.
É que dos 12 jogos para o campeonato espanhol realizado pelo extremo, somente 2 foram como titular. O seu regresso pode indiciar a saída de um ordenado elevado com sotaque espanhol, que joga na mesma posição, mas as diferenças entre ambos deverão ainda ser quase tão grandes quanto os seus vencimentos.
Quando penso na encomenda que dizem vir da Corunha, lembro-me do ditado: "Um é pouco, dois é bom, três é demais".
Estava tentado a dizer que um já é demais, mas para não ser acusado de descrente, poderei tentar ser simpático e dizer que "um é bom, dois é desaconselhado,  três é pesadelo".
Curioso ainda é olhar para o plantel da equipa galega e verificar a quantidade de elementos com ligações sentimentais ou psiquiátricas ao nosso clube.
Os referidos André Santos e Salomão já vestiram a nossa camisola, bem como o lateral Evaldo, que poderá ir agora experimentar os campos da 2ª divisão, caso não apareça uma proposta irrecusável.
Tiago Pinto, outro lateral esquerdo que também cresceu na Academia, foi igualmente fazer uma perninha à Corunha, mas parece não ter convencido ninguém, pois voltou pelo mesmo caminho por onde tinha ido.
Já Zé Castro nunca envergou a nossa camisola, a não ser que a tivesse comprado, mas desde há 30 ou 40 anos o seu nome é associado ao Sporting.
Defeso que é defeso só se justifica se algum jornal anunciar o interesse do Sporting no defesa central, mas começo a ficar deveras  preocupado com o facto de não aparecer nenhuma notícia nesse sentido há vários meses.
Quem também está na pré-reforma a comer calamares fritos e pulpo à galega é Paulo Assunção, que também mereceu em tempos o interesse (real) do Sporting.
Acabou por ir bater com o costado ao Porto, e nada melhor para terminar a carreira do que jogar de azul-e-branco na 2ª divisão, já que a justiça portuguesa perdoou um castigo similar aos outros azuis.
Outro que gosta do azul é Domingos que, como se sabe, ajudou à festa, sendo um dos obreiros pela descida de divisão do Corunha.
Com os pontos de contacto entre os dois clubes, ainda bem que não o deixaram ficar por cá.

Legenda:
 Vamos regressar?? Yeahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!