quarta-feira, 24 de julho de 2013

Balde Runner

Já é por demais evidente que no apartado Sporting das publicações desportivas, teima em aparecer o nome Baldé.
O homem podia surgir no apartado empresários, outros, diversos, curiosidades, passatempos, futebol africano, diferenças ou palavras cruzadas mas, na sequência dos casos Bruma, Cassamá e Sambú, passou a fazer parte da actualidade leonina.
Este empresário era até há bem pouco tempo um quase desconhecido, mas começou a sair da toca aos poucos. As suas mais recentes aparições terão estado relacionadas com as transferências de Cá e Ié para Barcelona, a troco de uma pele de batata, mas no ano anterior já as saídas de Rudinilson, Batis Candé  e Eusébio Bancessi para o Benfica apanharam muitos de surpresa.

Este ano, de uma cajadada, voltam a ser três os nomes em equação.

Algumas das suas declarações, na edição do dia do jornal A Bola, não deixam dúvidas quanto à estratégia de chantagem que o empresário está a empreender:

«.... Estes dois jogadores não se apresentaram porque quero ver a minha relação de trabalho definida. Caso contrário, como vou mandar dois jovens talentosos para o Sporting sem saber se vou ser impedido de entrar na Academia?», questionou Baldé em declarações à Antena 1, confessando que se sentiu «maltratado» pelos responsáveis leoninos: «Não deviam ter tido esta atitude comigo.»
 As críticas passam ao lado do presidente Bruno de Carvalho e vão direitinhas a Augusto Inácio e Virgílio Lopes: «Não tenho habilitações nem competências para enfrentar os responsáveis pelo futebol que me contestaram. Parece que já não querem a minha colaboração mas querem alguns dos meus jogadores.»
 Ainda sobre a situação de Bruma, atirou: «Sou bom porque descobri o Bruma em África e, depois de toda esta polémica, já não sou bom para gerir a carreira do jogador. Provavelmente, a partir de agora, quem pode gerir a carreira de Bruma é o Jorge Mendes.»


 Se por um lado é possível encontrar algum ziguezaguear no seu discurso, o que poderá denotar que não está demasiado confiante que a razão possa estar do seu lado, não restam dúvidas que, caso venha a vencer o caso Bruma, esse serpentear poderá dar lugar a uma fuga do empresário e alguns dos seus representados.
Nesse caso, poderemos estar perante um Balde Runner.