sexta-feira, 19 de julho de 2013

Levantar a cabeça

Cada um luta com as armas que tem.
Os sportinguistas sabem, desde há muito, que enquanto uns têm armas brancas...ou douradas para atacar, nós só temos os punhos para nos defendermos das investidas.
Apesar das evidências, são já muitos os adeptos que começam a mostrar-se desagradados por constatar a dificuldade que o Sporting demonstra em fechar o plantel para a próxima época.

As pessoas gostam muito de comparar e, por norma, desvalorizam sempre o que é seu.
Se qualquer um costuma utilizar o provérbio "a galinha da vizinha é melhor que a minha", já os homens socorrem-se do também famoso "provérbio, "a pilinha do vizinho é maior que a minha".

Deve ser com inveja que alguns sportinguistas observam os plantéis de Porto e Benfica em constante crescimento.
Se o do vizinho era grande, com quase 110 atletas, as chegadas que se avizinham podem provocar novo sentimento de impotência.
Hoje fala-se que Pizzi é a nova contratação encarnada, depois do Sporting ter andado a namorar o jogador durante larga período.
O próprio atleta chegou a confessar no Twitter que o acordo com o Sporting estaria para breve.




Não bastava observar que Djaló's e Martin's amantizaram-se com o rival, ou que o portento Hugo Vieira preferiu ser "sodomizado" naquela casa, parece que ainda temos agora que nos conformar com a fuga do extremo que irá fazer companhia a Fariña, que também foi sondado pelo Sporting.
O médio argentino afirmou, ainda antes de chegar, que vir para Portugal significa estar mais perto de Espanha e Inglaterra, o que confirma que também é farinha do mesmo saco.
Olhar para o coiso dos rivais do Norte e dar de caras com Varela ou Izmailov também envergonha , mas a maioria ficou definitivamente complexado ao aperceber-se que também Josué e Ghilas nos puseram os chifres.

Dos muitos alvos do Sporting que fizeram capas de jornais já poucos sobram e, dada a nossa evidente incapacidade, resta esperar que a gulodice e a tesão dos rivais não arrase de vez a nossa auto-estima. 
Mais que nunca, seria motivo para proferir a frase preferida dos futebolistas:
"Temos que levantar a cabeça".

Apesar da aparente decepção, temos que acreditar que o futuro do Sporting não se esgota em dois ou três atletas com poucas provas dadas.