sábado, 27 de julho de 2013

Santos da casa não fazem milagres

O Record, na sua versão online, publicou há minutos uma curiosa notícia:

"André Santos e Diogo Salomão não vão ser apresentados, esta sexta-feira, durante o encontro que marcará o primeiro contacto dos sócios leoninos com os seus jogadores, frente à Real Sociedad, às 18 horas, no Estádio de Alvalade.



Os dois futebolistas portugueses estão em final de contrato e este facto poderá significar que não envergarão a camisola verde e branca na época que se avizinha."

Eu sei que ainda é cedo para especular mas, a confirmar-se a notícia, fico com a agradável sensação das minhas preces terem sido ouvidas.
Eu sei que eles ainda são jogadores do Sporting, que devemos mimá-los, e que para lá da parte afectiva agora está na moda considerá-los como activos, porque têm um cifrão gravado na testa.
Sei que não é agradável tecer determinados comentários dos nossos meninos...e dos nossos cifrões, por diversos motivos.
Além disso, quer um quer outro possuem uma falange de apoio considerável, quer seja ainda por aquele golo de calcanhar...ou simplesmente porque é bem-parecido.
Mesmo que esta notícia não tenha fundo de verdade, a minha apreciação está inalterada há imenso tempo, e a última vez que comentei sobre os jogadores foi aqui:


Venha ou não  a cofirmar-se esta suspeição do Record, há algo que irá assombrar o espírito dos adeptos leoninos.
É o inevitável fantasma de Pinto da Costa (e, porque não, de Vieira) sempre disponível a resgatar qualquer jogador que tenha vestido de verde.
Mesmo que ninguém acredite que A.Santos (por exemplo) tenha capacidade para ser titular numa equipa de topo (nem sequer foi numa do fundo) é sempre assustador e revoltante ver um jogador da casa ir para um rival.
Isso, mais que qualquer outra coisa, é capaz de turvar a vista de um lúcido adepto, e considerar que o rapaz até pode dar jeito, numa qualquer fase da época.