sábado, 27 de julho de 2013

Regresso ao passado

Hoje há Sporting, e na televisão, finalmente.
No jogo de apresentação aos sócios (e adeptos) o Sporting defronta os espanhóis da Real Sociedad.
Se, à primeira vista, os mais distraídos podem considerar ser uma equipa banal do melhor campeonato do mundo, a verdade é que os bascos parecem querer fintar a história recente. Na última época ficaram em 4º lugar, indo deste modo disputar a pré-eliminatória da Champions.
Para ilustrar a força e regularidade desta equipa, convém recordar que o Barcelona sofreu em San Sebastian uma das duas derrotas do campeonato. Também o Real Madrid não conseguiu lá vencer, nem o Atlético, nem o Athletic, nem o Málaga, sendo que apenas consentiu duas derrotas caseiras.
Fora, a mesma regularidade, tendo vencido em casa do Atletico, Athletic, Valencia, Málaga...perdendo somente 5 jogos nessa condição.

Os números também podem reflectir essa estabilidade, tendo sido a 3ª equipa mais concretizadora, depois de Barça e Real, e a 4ª melhor defesa do campeonato espanhol.

Nesta nova época, que arranca lentamente, os bascos realizaram 3 jogos de diferentes graus de dificuldade, tal como o Sporting.
Venceram os amadores do Mondragón por 12-0, empataram 1-1 com o Toulouse e no último teste derrotaram o Real Unión (II B) por 1-7.

As novidades para esta época prendem-se logo à partida pela equipa técnica, e se o treinador desejado era Tata Martino, a nega deste (para ir para Barcelona) fez o jovem adjunto Arrasate ser promovido.

Tal como o Sporting, a Real Sociedad faz, da sua cantera, a principal base de recrutamento, sendo que 85% do plantel é constituído por jogadores saídos da formação.
As "estrelas" desconhecidas da companhia são os avançados Agirretxe e Carlos Vela (mexicano que jogou vários anos no Arsenal) o médio Griezmann ou os defesas Iñigo Martínez e Carlos Martínez.
O internacional suíço Seferovic é a novidade para a presente época, tendo o clube perdido o médio Illarramendi, vendido ao Real Madrid por 39 milhões...ou seja, um valor acima do orçamento do Sporting para esta época.


Mas a relação entre o Sporting e a Real Sociedad também tem contas antigas por saldar.
Foram duas as eliminatórias europeias que disputámos com os espanhóis, e em ambas fomos eliminados.
Talvez a mais dolorosa tenha sido a da Taça dos Campeões da época 82/83.
Depois de domínio absoluto e bastantes oportunidades desperdiçadas, a vitória por 1-0 iria revelar-se insuficiente para chegar às meias-finais da máxima competição europeia.


A vitória por 2-0 na segunda mão permitiu aos bascos disputar com o vencedor da competição (Hamburgo) essa meia-final.

Naqueles tempos, as equipas bascas jogavam ainda um futebol tipicamente inglês, e até os seus estádios tinham muitas parecenças físicas com os das ilhas britânicas, com as bancadas encostadas ao campo, e onde se fazia sentir com muita intensidade o apoio dos adeptos.
Os jogadores bascos, nesse tempo, treinavam muitas vezes na praia, e o jogo com a bola presa nas poças de água era a sua casa.
Talvez por isso, quando o Sporting foi a San Sebastian defender a vantagem mínima que tinha conseguido em Alvalade, foi surpreendido por regarem intensamente o campo, apesar de ter chovido no dia do jogo.
De nada valeram as queixas aos responsáveis da UEFA.

Novo encontro estava reservado para a época 88/89, agora na Taça UEFA.

A derrota caseira (1-2) já indiciava o destino na eliminatória, confirmado com o empate a zero no Campo de Atocha.


A Real chegaria aos 1/4 de final, onde seria eliminada pelo Estugarda, que por sua vez chegaria à final.
O treinador da equipa basca, nessa época, era John Toshack, que deixou boas recordações em Alvalade e...talvez conhecesse o Sporting demasiado bem. Esteve apenas uma época no banco leonino, tendo orientado a equipa espanhola durante 10 épocas, divididos por diversas fases, mas os sportinguistas parecem, por vezes, continuar a querer apoderar-se do coração do treinador galês.

Nessa longínqua época, as estrelas bascas eram o guarda-redes Arconada, os médios Zamora e Goikoetxea ou o avançado Bakero. Os dois últimos fariam ainda carreira no Barcelona.
O Sporting também estava bem servido, com Damas, Oceano, Silas ou Paulinho Cascavel.

Esses foram os tempos áureos dos bascos, que agora parecem querer reviver, mesmo que não acredite que a ditadura de Barça e Real Madrid permita algo semelhante aos campeonatos conquistados pela Real Sociedad em 81 e 82.
Já o Sporting caiu na maior das suas crises e, esperamos, comece aos poucos a sair do buraco que alguns escavaram.

O jogo terá início às 19.45, terá transmissão pela TVI e, em tempo oportuno, disponibilizaremos ligações para a sua visualização.