quarta-feira, 31 de julho de 2013

Claro, como o derrame do Prestige


Dado que estou em preparativos para alguns dias de férias, hoje não tenho dedicado especial atenção ao que a imprensa escreve, relativamente ao Sporting.
Ainda passei os olhos pelas primeiras páginas dos jornais, mas não havia novidades no que concerne aos necessários ajustamentos no plantel, para enfrentar a época que se avizinha.
Depois de mais uns afazeres terminados, deparei-me com uma má notícia, de acordo com o pouco que estava disponível.
Como do caso Bruma já nada me surpreende, encarei sem sobressaltos.

O Record dizia:
Bebiano Gomes: Sporting fez mal o seu trabalho de casa...
A Comissão Arbitral Paritária (CAP) indeferiu ontem um dos dois pedidos de impugnação que o Sporting fez entrar nos seus serviços a propósito do caso Bruma.

Entretanto, o jornal O Jogo afinava pelo mesmo diapasão:
Caso Bruma: leões entram a... perder 
Segundo informações do advogado Bebiano Gomes, o órgão que irá dirimir o conflito jurídico entre os leões e o jogador rejeitou o requerimento que visava a impugnação do pedido de nulidade de contrato apresentado pelos representantes do atleta, razão pela qual continua em apreciação o processo principal. Esta primeira apreciação não pode, aliás, servir de indicador sobre a posição da CAP sobre a validade do contrato de Bruma.

Não sou, nem pretendo ser especialista em questões relacionadas com direito.
Ler a deliberação do CAP apresentada pelo advogado (a negrito) relativamente à impugnação do pedido de nulidade, parecia claro como água...depois do derrame do Prestige.
Ler aquela passagem ou ler o Corão era para mim quase o mesmo.
No entanto, tanto o advogado como os jornais que a publicaram consideravam-na a primeira derrota leonina no caso Bruma.

O Sporting respondeu entretanto em comunicado, à decisão do CAP, e manifesta que a decisão é favorável ao clube:
Nos pontos principais, diz que:

- A Sporting, SAD, tendo em conta o teor da notificação judicial avulsa recebida no dia 11 de Julho de 2013, entendeu clarificar junto da CAP se aquela notificação correspondia, ou não, a uma rescisão contratual por parte do jogador Bruma.

- A decisão de indeferimento liminar agora proferida pela CAP, ao considerar que a notificação judicial avulsa requerida pelo jogador Bruma não contém uma declaração rescisória, vai de encontro ao solicitado pela Sporting, SAD. Esta decisão vem confirmar que a notificação judicial avulsa recebida pela Sporting, SAD não deve ser entendida como uma rescisão contratual.

É entendimento da Sporting, SAD que a decisão da CAP, ontem divulgada, clarifica que, justamente porque o contrato não foi rescindido, o mesmo permanece em vigor, ou seja, até ao dia 30 de Junho de 2014.

Confesso que, ao ler este comunicado, não fiquei aliviado, porque continuei a ver a luz de um grande ponto de interrogação que pisca sobre a minha cabeça.
No entanto, estou em crer que não podem os dois ter razão.

Por isso, ou a Bebiano Gomes está a vir à tona o facto de ter terminado o seu curso de direito há pouco tempo, e nem sequer consegue perceber os termos da decisão, ou o Sporting está a tentar tapar o sol com uma peneira.

Seja qual for o vencedor desta pequena batalha, de uma guerra que o Sporting não fez por merecer, seria de bom-tom que os jornais esclarecessem os seus leitores.
Depois de evidenciarem a derrota leonina baseados nas declarações de Bebiano, gostava de ver alguma frase taxativa, baseada no comunicado do Sporting…ou a opinião de um insuspeito especialista na matéria.