sexta-feira, 4 de maio de 2012

Caldeirada


Ontem já tinha sido possível ouvir o presidente da U.Leiria dizer que o cenário de desistência da Liga era quase irremediável, face à confirmação legal da rescisão de 13 jogadores.
Hoje, tudo aponta nesse sentido, com as consequências que daí advêm. 
O Sporting será um dos prejudicados, o Braga um dos beneficiados, dependente dos resultados da próxima jornada. O Braga poderá mesmo ter o 2º lugar em mira, quando neste momento está com dificuldades em segurar o 3º.
Afigura-se uma batalha jurídica, face a regulamentos que se contradizem, ao prever a homologação de resultados após 30 dias.
Os jogadores do Sporting têm que se alhear deste figurino, de modo a entrar em campo com a motivação suficiente para tentar alcançar o único resultado que lhe interessa....de momento.
No fundo da tabela também haverá alterações significativas, com o Feirense a resvalar para o lugar que a Académica ocupa neste momento.
Esta sim deverá ser a verdade desportiva que o presidente academista proclama.
João Bartolomeu, presidente leiriense, já tinha aludido às pressões que tinha sido sujeito para a desistência do clube do Lis, aquando do jogo da semana passada, e resta saber até que ponto essas pressões ganharam terreno nas últimas horas.
É pena que este cromo do nosso futebol não tenha dito que tipo de pressões...ou até que incentivos recebeu para tomar a atitude que convém a alguns.
Caldeirada em lume brando...até final da época.

(em actualização)

Em declarações ao jornal Expresso o treinador bracarense Leonardo Jardim considera..." "injusto" que algumas equipas tenham jogado na Liga de futebol com a União de Leiria "de uma forma" e outras com uma "totalmente partida".
A União de Leiria voltou a ameaçar hoje desistir da competição, o que significaria alterações na tabela classificativa, sendo que o Sporting de Braga seria um dos principais beneficiados, mas o técnico não quis fazer comentários a esse cenário enquanto ele não se materialize.
Perante a insistência, respondeu: "Se os regulamentos permitem que isso aconteça, o futebol português é que tem que refletir sobre isso. Na minha opinião. isso não deveria acontecer porque beneficia uns em relação aos outros, mas os requerimentos da Liga e da Federação foram aprovados por todos os clubes e se as pessoas podem utilizá-los, porque não?".

Curiosa nesta declaração é Jardim achar que, se os regulamentos permitem, então a única solução é reflectir sobre o assunto.
No entanto, também está nos regulamentos a possibilidade de os clubes apresentarem 7 jogadores, mas os potenciais prejudicados saltaram a terreiro, quais virgens ofendidas com o sucedido. 
Curioso estou também com a posição que o Porto tomará. Não sendo o clube prejudicado com a situação, acredito que mexerá cordelinhos para que esta situação se potencie, dado que prejudicará Sporting e Benfica, ao mesmo tempo que o seu aliado Braga poderá colher frutos do tamanho de melancias. 

Aguardemos pelos próximos temperos da caldeirada. 


(hoje, às 19 horas, Bartolomeu confirma que a U.Leiria se apresentará na Luz)


A meio da tarde, era possível ler as palavras de Mário Cruz, presidente do Leiria:
«Na qualidade de presidente do clube lamento profundamente a situação, era uma morte que infelizmente estava anunciada. Pessoalmente, não acredito que os jogadores voltem atrás e haja outra solução que não seja a desistência. Na minha opinião, é uma situação irreversível mas faço votos para que esteja enganado».
 «Não tenho esperança, mas pode ser que haja um milagre ou algo que não esteja a verificar neste momento que possibilite um volte-face».
«Era humanamente impossível chegar ao final do Campeonato».
«Infelizmente, não acredito que o União de Leiria esteja amanhã no Estádio da Luz», remata. 


Realça das palavras do sujeito o facto de considerar que era humanamente impossível chegar ao final do campeonato mas...pelos vistos, aconteceu o milagre. 
Tudo no futebol insere-se no reino do sobrenatural mas, neste caso...Fátima está ali tão perto.
Este caso pode vir a merecer a atenção da Santa Sé!!