quinta-feira, 24 de maio de 2012

Passarada


São muitas as espécies avícolas que sobrevoam o Sporting. 
Depois de um casal de falcões ter feito ninho na floreira de uma casa em Lisboa, vários outros espécimes de aves são avistados amiúde, lá para os lados de Alvalade. 
Muitas são as espécies migratórias, e estas que coabitam no nosso espaço aéreo também procuram outros climas durante o ano mas, em determinados períodos, regressam religiosamente ao ninho. 
Depois de Zuzu e Margarida terem perdido a atenção mediática, os holofotes viraram-se para Santana e Ângelo, um casal de papagaios que fizeram voos rasantes, só para chamar a atenção.
Para lá dos coloridos animais também os abutres e outros emplumados tomam amiúde de assalto não só os lugares de destaque mas, inclusivamente,  nidificam em floreiras de diversos jornais e televisões. No entanto, vão alimentar-se a Alvalade, porque o alpiste é mais saboroso.
Claro está que, no meio desta parafernália de espécies, os patos acabam por ser os que, por amor incondicional, fazem de Alvalade o seu habitat natural. Esse são os que mais sofrem com o piar ou o grasnar dos grandes passarões.
Não bastava esta autêntica orgia de aves que acorrem de todos os lados, hoje fiquei mais estupefacto ao ler :"Perú impressionado com o novo Carrillo".
O que nos vale é que este tem menos sede de protagonismo. 
Pena é que aos outros, com tanta sede, não se lhes possa enfiar uma garrafa de aguardente pela goela abaixo e levá-los ao forno.