domingo, 13 de maio de 2012

Quim viu o Braga ?


E pronto,o campeonato chegou ao seu fim.
O rescaldo destas 30 jornadas foi-se fazendo durante o decorrer do mesmo e este, tal como tantos outros, ficará marcado pelos erros que nos empurraram para um lugar que estava longe dos planos de adeptos e responsáveis.
A história é feita de muitas mentiras, mas a sociedade tecnológica já não permite que se perpetue a falsidade. Os registos das jornadas que foram, para deleite de alguns, obrigando-nos a soçobrar, são de livre acesso e, mesmo que não nos sirva de muito, poderemos sempre reavivar a memória de sportinguistas e rivais.
O jogo de hoje foi, em certa medida, o espelho de uma época. O Sporting foi muito superior ao seu adversário que tentará, se ultrapassar o play-off de acesso, prestigiar o futebol português nessa competição, mas para isso terá de fazer muito mais do que apresentou em Alvalade.
O Sporting dominou em todas as vertentes do jogo e chegou a ser deprimente ver uma equipa que andou até perto do final a lutar pelo título nacional, exibir-se a um nível tão baixo.
Como o Sporting por vezes parece atrair o sobrenatural, uma vez mais sofremos um golo ao primeiro remate adversário, sendo que este apenas aconteceu aos 57 minutos de jogo.
O anormal aconteceu aos 67, pois o Braga não foi capaz de concretizar a sua segunda aproximação à área leonina.
O empate surgiu de um lance algo controverso. Mesmo que as imagens venham a provar que as orelhas de Lima estavam em linha com o nariz de Xandão, o certo é que quando o Sporting ataca essas certezas dissipam-se, e este mesmo ano fomos privados de pontos em foras-de-jogo de metros, como o que nos surripiou dois pontos contra o Olhanense, à primeira jornada.
Wolfswinkel tratou de colocar os pontos nos is, e a bola onde ela já merecia, dando ao resultado alguma justiça. O holandês quis fazer as pazes com alguns adeptos mais impacientes, e com um pouco mais de pontaria hoje ainda se teria chegado aos calcanhares de quem lutava pelo título de melhor marcador, mas Quim evitou uma noite histórica do avançado e uma noite de terror do Braga.
O segundo golo bracarense, que para quem não viu o jogo dará a sensação de um jogo equilibrado, vem ilustrar a minha afirmação de que este jogo poderá servir como espelho da época. Muitas são as grandes penalidades inexistentes que são assinaladas, e vice-versa, mas nós somos um imã de más decisões arbitrais. 
Se, na semana passada, poderíamos alegar que Proença sucumbiu à pressão do banco, jogadores e adeptos portistas, esta semana Marco Ferreira sucumbiu...à inevitabilidade de prejudicar o Sporting.
Evaldo, um dos mal-amados de Alvalade, deve ter ouvido das boas por esse país fora, mas a realidade é que o avançado bracarense deixou-se iludir pela sombra do nosso defesa ...e o apito ecoou uma vez mais nas nossa cabeças, como se um comboio se aproximasse a alta velocidade.
Desta vez , felizmente, mais penalti menos penalti o resultado estava feito, mas quando queremos acreditar...acreditar que será possível lutar por outros lugares, este tipo de arbitragens fazem-nos ser completamente agnósticos.
Destaque, claro, para o público presente em Alvalade que provou, uma vez mais, que é de uma fibra diferente, pelo menos em Portugal. Se noutras culturas é normal que os adeptos não se divorciem de um clube com resultados aquém do esperado, no nosso país isso é uma miragem, e só mesmo uma maneira de ser e estar diferente é que permite estas manifestações únicas de clubismo.
Até Leonardo Jardim (talvez com o seu sportinguismo a falar por si) disse : 
" É com gratidão que vejo um clube que, mesmo depois de uma derrota, tem o estádio cheio para brindar a sua equipa. Não é só em Inglaterra que isto acontece. Não esperava uma manifestação tão calorosa ao Sporting. Normalmente, em Portugal, quando a equipa está a perder, os adeptos não aparecem".
Mesmo que estes objectivos tenham uma importância muito relativa, é de valorizar o facto de termos ultrapassado os 520 mil espectadores em casa, para o campeonato, quando na época passada os números foram pouco além dos 370 mil, e um 3º lugar no campeonato.
Não há dúvida que o bom futebol atrai espectadores, mesmo que saibamos que os títulos é que são os verdadeiros catalisadores para angariar adeptos e sócios.
Acabou o campeonato mas, na próxima semana é que se joga, em 90 minutos, toda uma época.