segunda-feira, 7 de maio de 2012

A "invenção" de Hugo


A época está a dar as últimas, felizmente.
Não sei se Fernando Mendes ainda achará a época brilhante mas, independentemente do que aconteça no Jamor, estou desejoso que acabe.
No próximo Sábado será o último suspiro de um campeonato que, para nós, começou torto e nunca se endireitou. Quem o torceu nós sabemos quem foi, mas a história encarregar-se-à de engolir as nossas queixas e acabará por sublinhar, exclusivamente, o "mérito" do vencedor, quaisquer que tenham sido os métodos utilizados para lá chegar.
No jogo contra o Braga será a nossa vez de alugar o local para a festa alheia, já que equipa e adeptos bracarenses virão a Alvalade festejar o seu 3º lugar, qualquer que seja o resultado. O Sporting já terá agulhas apontadas para o jogo da Taça, pelo que acredito que não fará muito para contrariar a sua sina, mas mesmo que acontecesse um vendaval sportinguista, a reacção da equipa do amigo do Costa seria similar à expulsão de Fernando, no jogo do Dragão. 
Não sei a postura que a nossa equipa irá adoptar, nem que jogadores Sá Pinto escolherá  para defender a nossa honra, mas dado que não estará Rui Rego na nossa baliza, acredito que o Braga possa sentir mais dificuldades.
Acredito também que este deverá ser um dos nomes aventados para as transferências da próxima época. Não me parece que suscite o interesse a clubes de grande nomeada, mas talvez ainda possa interessar a outros, por bons serviços e exibições de encher o olho.
O último que me recordo com promoção assegurada foi Nuno Espírito Santo, que defendia as cores do Aves, e que se exibiu a bom nível no Dragão, no jogo que lhes permitiu conquistar o título da época 2006/07.
O Aves ficou em último lugar e consequentemente desceu de divisão, mas Nuno conseguiu sentar-se no banco portista as 3 épocas seguintes, e com isto aumentou consideravelmente o seu palmarés.
Por falar em transferências, tem-se falado insistentemente no interesse do Sporting em Hugo Vieira.
O ainda jogador gilista diz mesmo que "Jogar no Sporting seria fantástico".
Mas, e quem é que irá dizer o contrário?
Enquanto a porta estiver entreaberta, e até Pinto da Costa estalar os dedos, convém adoçar a boca e dar música aos ouvidos de quem gosta de ouvir esta lenga-lenga.
Aliás, se  me desse ao trabalho de fazer um apanhado de todos os que foram falados para o nosso clube, e procurasse as suas expectativas, seria fácil descobrir todos eles sentem um grande orgulho pelo interesse.

Adriano, que fez carreira no Porto, disse: "Quero fazer dupla com Liedson".
Hugo Almeida, que por várias vezes foi apontado ao Sporting, afirmou: "Sporting seria bom para mim".
Guardado, actual-ex-jogador do Corunha:  "É um grande clube de Portugal e é claro que que gostava muito de ir para o Sporting".

Ruben Micael e Paulo Assunção, tal como Adriano, também fizeram o percurso Choupana-Dragão com escala em Alvalade, e sempre se mostraram entusiasmados com a hipótese de jogar de verde...ou azul...ou uma cor qualquer da palete posta à disposição.
Depois do investimento da época passada, orientado para limpar um plantel com sérias limitações, mas que não conquistou o lugar que lhe permitisse justificar esse mesmo investimento, tudo aponta para que o desinvestimento ocorra neste defeso.
Muitos irão ser os nomes apontados ao nosso clube mas, como sempre ocorre nessa altura e num Sporting sempre apetecível para vender notícias, poucos irão ser os acertos, até porque as contratações deverão ser estratégicas e a custo zero. Mesmo que neste contexto possa caber o jogador referido, sabemos que nos negócios envolvendo clubes nacionais saímos (quase) sempre a perder, pois os rivais oferecem uma estabilidade classificativa que nem para nós próprios conseguimos.
É ponto assente (dizem) que o jogador tem margem de progressão, mas eu preocupo-me sempre mais com a margem de estagnação que nos proporcionam Paixões, Proenças, Gomes e Olegários, só para citar alguns.
No fim, ainda nos dizem que são invenções!!