sábado, 9 de junho de 2012

Futsal anormal


Terminou com goleada o primeiro jogo da final do campeonato nacional de futsal.
A derrota por 5-1 com o rival encarnado vale o mesmo que uma derrota pela margem mínima, mas pode ter reflexos a nível psicológico.
Não há muito para dizer, tal foi o desacerto colectivo da equipa mas, se tal como tenho vindo a dizer ao longo da época e ainda hoje na antevisão ao jogo, a produção ofensiva está muito aquém do desejável e a isso juntarmos erros infantis a nível defensivo, estão juntos os ingredientes necessários para uma derrota sem mácula.
Ainda muito está por jogar, e uma vitória amanhã pode virar do avesso o que hoje se perspectiva, mas convenhamos que as expectativas estão ainda mais baixas que há duas horas atrás.
Não é esta derrota que me leva a fazer determinadas análises, pois saltou à evidência durante a época todas as lacunas existentes. Na fase regular do campeonato, o nosso ataque ficou a quase 40 golos do nosso adversário, e o melhor marcador da equipa foi Deo, o 14º artilheiro do campeonato, com 19 golos.
É por isso que considero quase natural os números que apresentámos hoje, e a apatia de jogadores e treinador fizeram o resto.
Como tive dois pequenos lapsos de tempo que não pude ver o jogo não posso afirmar que Orlando Duarte não tenha usufruído da normal paragem de jogo de que dispõe em ambas as partes, mas a própria postura durante e após o final do jogo indicia que, apesar de ter as malas feitas, vai fazê-lo zangado com o clube.
Não bastasse todo este cocktail, ainda ficaremos os próximos dois jogos privados de Alex, expulso neste jogo.
Creio (e espero enganar-me) que se o Sporting não vencer amanhã, o vencedor da competição estará encontrado, mesmo que consigamos vencer algum jogo em casa.
Não acredito que corra tudo tão mal quanto hoje, mas...